Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

12 Janeiro de 2018 | 18h19 - Actualizado em 12 Janeiro de 2018 | 18h19

Moçambique: INGC prepara resposta para depressão tropical

Maputo - O Conselho Técnico de Gestão de Calamidades (CTGC) reuniu-se hoje, sexta-feira, em Maputo, para traçar um plano de contingência para o sistema de baixas pressões formado no Canal de Moçambique, que poderá evoluir para depressão tropical, afectando as regiões centro e norte do país a partir da próxima terça-feira.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Mapa de Moçambique

Foto: Angop

Caso evolua até ao estágio de depressão tropical, segundo as previsões do Instituto Nacional de Meteorologia (INAM), o sistema de baixas pressões vai afectar a costa das províncias de Nampula e Zambézia com chuvas muito fortes, acompanhadas de ventos e trovoadas severas.

Estima-se que a precipitação poderá atingir entre 100 e 200 milímetros em 24 horas, noticia a AIM.

Ainda nas regiões centro e norte prevê-se a ocorrência, no mesmo dia, de chuvas moderadas, localmente muito fortes, principalmente nas províncias de Tete e Niassa, onde a precipitação poderá atingir entre 50 a 100 milímetros em 12 horas.

O fenómeno vai afectar as bacias dos rios Messalo, Megaruma, Mecuburi, Meluli, Ligonha e Licungo, afectando os distritos de Nacaroa, Moma, Angoche, Pebane, Mocuba, Namacurra, Lugela e Maganja da Costa.

O director geral do Instituto Nacional de Gestão das Calamidades (INGC), João Machatine, disse que para se evitar danos maiores urge desenhar um plano de resposta sectorial para este fenómeno que tem um potencial elevado de causar perdas de vidas humanas e destruir infra-estruturas.

“É momento de agir para prevenir danos maiores através do posicionamento de recursos. Temos que arranjar alternativas para garantir a circulação de pessoas e bens. Vamos fazer deslocar plataformas móveis para Mocuba para garantir a travessia nas vias principais”, disse Munguambe.

Os participantes também decidiram enviar, ainda hoje, uma brigada multissectorial envolvendo os sectores da saúde, educação, urbanização, estradas, energia e acção social, que deverá estar posicionada na província da Zambézia para monitorar a evolução deste fenómeno

O plano deverá garantir a chegada de material do sector da educação para não comprometer o arranque do ano lectivo, medicamentos, abrigo para as pessoas que poderão ser afectadas, retirada das pessoas afectadas para locais seguros antes de o sistema entrar para a zona continental.

“Temos que fazer tudo agora. Não gastaríamos de accionar pontes aéreas para assistir as populações, daí a necessidade de fazermos o pré-posicionamento de todo o material necessário”, disse Machatine.

Dados hidrológicos divulgados no encontro apontam que a montante das bacias hidrográficas, na mesma terça-feira também espera-se chuvas fracas a moderadas, localmente fortes na África do Sul, Zimbabwe, Malawi e Zâmbia (30 a 60 milímetros de precipitação).

Ainda a montante das bacias hidrográficas, também espera-se, na quarta-feira, chuvas fracas a moderadas, localmente fortes na África do Sul, Zimbabwe, Malawi e Zâmbia (30 a 70 milímetros de precipitação.

Assuntos Moçambique  

Leia também