Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

15 Maio de 2018 | 14h06 - Actualizado em 15 Maio de 2018 | 14h18

Sudão remodela governo, substituindo ministros dos Petróleos e dos Negócios Estrangeiros

Cartum - O Sudão nomeou, na segunda-feira, sete novos ministros como parte de uma reforma ministerial que inclui mudanças no ministério dos Petróleos e a indicação de um novo ministro dos Negócios Estrangeiros, noticiou a agência noticiosa estatal SUNA.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Presidente do Sudão, Omar al-Bashir

Foto: ASHRAF SHAZLY

As novas nomeações são as últimas de várias registadas em poucos meses, que trouxeram mudanças nas chefias militares e de inteligência, bem como a exoneração do ministro dos Negócios Estrangeiros, Ibrahim Ghandour.

Esta remodelação surge numa altura em que o Sudão enfrenta uma crise económica e uma forte crise cambial, apesar de ter beneficiado, no ano passado, do levantamento das sanções norte-americanas de décadas atrás.

O presidente Omar al-Bashir anunciou que não vai participar das eleições previstas para 2020 e nomeou pela primeira vez um primeiro-ministro no ano passado.

Segundo a SUNA, Al-Dirdiri Mohamed Ahmed, um advogado islâmico moderado e membro do partido de Bashir, passa a liderar o ministério dos Negócios Estrangeiros, em substituição de Ghandour.

Ahmed serviu anteriormente como negociador na demarcação de Abyei, uma região fronteiriça disputada pelo Sudão e o Sudão do Sul.

Azhari Abdalla, que trabalhou como chefe da Autoridade de Exploração e Produção de Petróleos, foi nomeado ministro dos Petróleos.

Abdalla substitui o actual ministro dos Petróleos, Abdulrahman Othman, em meio a uma forte escassez de combustível que já causou longas filas nos postos de gasolina.

Anteriormente um exportador, o Sudão foi forçado a começar a importar o petróleo após a sua separação do Sudão do Sul em 2011, levando consigo três quartos da produção petrolífera do país e sua principal fonte de receitas.

Assuntos Sudão  

Leia também