Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

14 Junho de 2018 | 14h18 - Actualizado em 14 Junho de 2018 | 14h17

África: Mais de 31 mil menores migrantes não acompanhados

Bruxelas - No total, 31.400 menores não acompanhados, requerentes de asilo, chegaram em 2017 à União Europeia (UE), indica um relatório da Agência Europeia da Guarda Costeira e Guarda Fronteira (FRONTEX).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Imagem do naufrágio de um navio com migrantes (Arqivo)

Foto: Aris Messinis

Este número representa quase a metade da cifra registada em 2016, ou seja 63.200 menores não acompanhados, ou seja um terço do pico registado em 2015, que é 95.200.
Segundo este relatório, os menores  não acompanhados representam 15 porcento do total de requerentes de asilo de menos de 18 anos de idade, que chegaram aos países da UE em 2017.

A maioria, ou seja 89 porcento, são rapazes ao passo que mais de dois terços têm idades compreendidas entre os 16 e os 17 anos, representando assim um universo de 24 mil e 200 pessoas, 77%.

Os com idades compreendidas entre os 14 e os 15 anos representam 16 porcento, ou seja cinco mil e 500 indivíduos enquanto os com menos de 14 anos de idade representam seis porcentos, ou seja dois mil indivíduos, lê-se no documento.
Este relatório foi estabelecido na sequência do caso do navio de socorros Aquarius a bordo qual se encontram 629 migrantes, dos quais sete mulheres africanas grávidas, 11 bebés e 123 crianças não acompanhadas, que partiram das costas líbias.

Aquarius foi fretado pela Organização Não Governamental (ONG) humanitária Médicos Sem Fronteiras.

O navio estava bloqueado entre a ilha de Malta e Sicília (Itália), ambos membros da UE, que no entanto recusaram a atracagem do navio, suscitando um incidente diplomático entre França e Itália.

Consequentemente, o Presidente francês, Emmanuel Macron, qualificou de "cínico" o ministro italiano do Interior, Matteo Salvini (da extrema direita xenófoba).

No mesmo contexto, o ministro italiano dos Negócios Estrangeiros convocou, no mesmo dia, o embaixador de França na Itália para dar explicações sobre esta situação.

Assuntos África  

Leia também