Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

07 Abril de 2019 | 02h37 - Actualizado em 07 Abril de 2019 | 02h37

Protestos no Sudão deixam um manifestante morto e vários feridos

Cartum - Pelo menos um manifestante morreu e vários ficaram feridos durante as grandes marchas realizadas neste sábado no Sudão para pedir a renúncia do presidente Omar al Bashir, segundo informou a polícia local.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A vítima mortal participava de uma manifestação na avenida Al Arbain, da cidade de Ondurmã, que está separada de Cartum pelo rio Nilo.

"Oficiais de polícia registaram na noite de sábado a morte de um cidadão durante os protestos na avenida Al Arbain de Ondurmã. Além disso, vários cidadãos e vários policiais ficaram feridos", afirmou em comunicado o porta-voz da polícia, general Hashem Ali Abulrahim.

O Comité Central de Médicos do Sudão, de tendência opositora, informou da morte do médico de laboratório Moez Ataya Musa devido aos ferimentos sofridos durante um protesto em Ondurmã.

"O massacre de manifestantes pacíficos da nossa pátria não fará mais que aumentar esta revolução vitoriosa", disse o grupo na sua página do Facebook.

Com mais este óbito, a polícia sudanesa reconheceu a morte de 32 pessoas desde o início dos protestos, no último dia 19 de Dezembro, mas os grupos opositores e ONGs de direitos humanos elevam esse número a mais de 50.

Este sábado foi marcado pelos maiores protestos desde que começou a onda de manifestações contra Al Bashir.

O protesto mais numeroso, na qual participaram milhares de pessoas, aconteceu em frente ao quartel-general do exército, em Cartum, onde os manifestantes pediram o apoio dos militares para derrubar Al Bashir, que está no poder desde 1989.

As manifestações foram dispersadas com gás lacrimogêneo pela polícia e pelo exército, enquanto dezenas de pessoas foram detidas hoje em vários pontos de Cartum.

Para tentar conter os protestos, Al Bashir decretou estado de emergência no último dia 22 de Fevereiro e proibiu expressamente qualquer manifestação não autorizada, algo que não conseguiu frear as marchas.

Assuntos Manifestações  

Leia também