Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

13 Setembro de 2019 | 13h23 - Actualizado em 13 Setembro de 2019 | 13h23

Prosseguem manifestações na África do Sul contra violência do género

Pretoria - Manifestações contra a violência do género e o assassinato de mulheres e crianças na África do Sul continuam esta sexta-feira, desta vez em Stanton, o centro económico de Joanesburgo, onde centenas de pessoas começaram a se concentrar desde o amanhecer.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Os protestos ocorrem em volta do mercado de acções desta importante cidade, capital da província de Gauteng, onde algumas vias de acesso foram fechadas, embora fontes oficiais indiquem que o tráfego flui e a situação está sob controlo, informou a prensa latina.

Grupos da sociedade civil condenam com esse apelo a contínua violência contra os sul-africanos e a sua demanda por medidas urgentes e eficazes para conter esse mal sofrido pela sociedade.

Entre as bandeiras dos manifestantes destaca-se uma que diz “Isso não é um protesto, é uma revolução'.

A manifestação desta sexta-feira ocorre algumas horas depois que o ministro da polícia, Bheki Cele, ofereceu estatísticas do parlamento sobre a violência no país durante o ano fiscal encerrado em Março passado.

Entre os dados fornecidos está o assassinato de 2.771 pessoas, número inferior ao período anterior, mas ainda alarmante.

Num relatório perante a comissão parlamentar que lida com assuntos policiais, o ministro Cele revelou que de 01 de Abril de 2018 a 31 de Março de 2019 na África do Sul, 21.222 pessoas foram mortas, 686 a mais do que no período anterior e que os crimes sexuais aumentaram 19%.

A seriedade da situação fez com que o Presidente Cyril Ramaphosa fizesse um discurso na semana passada à nação, durante o qual prometeu acções vigorosas e mudanças nas leis para garantir punições mais fortes para aqueles que agressivamente.

Uma recomendação dos sul-africanos é o restabelecimento da pena de morte, abolida no país em 1995, para estupradores e assassinos de mulheres e crianças.

Assuntos Manifestações  

Leia também
  • 02/09/2019 10:01:31

    Manifestação contra mortes de grávidas termina com detenção

    Maputo - Uma manifestação no fim-de-semana contra mortes de grávidas que a população acredita estarem relacionadas com mau atendimento médico no Hospital Provincial de Lichinga, norte de Moçambique, acabou com detenção e dispersão dos manifestantes pela polícia, com recurso a gás lacrimogénio.

  • 23/07/2019 11:27:40

    Refugiados eritreus mantidos no Egipto após manifestação

    Cairo - Cinco refugiados eritreus dos 40 detidos domingo (21) pela polícia egípcia durante uma manifestação nos escritórios da agência da ONU para refugiados (ACNUR) continuam nas celas de Cairo (Egipto), noticiou a BBC.

  • 16/07/2019 11:05:25

    Polícia do Sudão dispersa manifestantes com gás lacrimogéneo

    Cartum - A polícia do Sudão dispersou nesta segunda-feira, com bombas de gás lacrimogéneo, um protesto no centro de Cartum, um dia após a morte de um homem nas mãos de paramilitares no sudeste do país.