Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

28 Outubro de 2019 | 09h10 - Actualizado em 28 Outubro de 2019 | 10h56

Guiné-Bissau: Primeiro-ministro relaciona "tentativa de golpe" ao tráfico de cocaína

Bissau - O Primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Aristides Gomes, anunciou, em conferência de imprensa, a abertura de um inquérito para investigar "a verdade sobre a morte de um cidadão na manifestação ilegal", ocorrida no sábado (26).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Aristides Gomes, Primeiro-ministro da Guiné-Bissau (arquivo)

Foto: Inácio Rosa

Acompanhado por membros do Governo, Aristides Gomes chegou mesmo a levantar suspeitas sobre a oposição ao afirmar que há controvérsia quanto ao local, causa e hora da morte de um homem de 48 anos de idade.

Segundo o Primeiro-ministro, o ministério do Interior tentou evitar o distúrbio ao negar o pedido para a realização de uma marcha, pois “o clima tenso vivido no país e o pedido fora do prazo estabelecido pelas leis, para a realização de manifestações, impediam que houvesse a necessária segurança”. 

Aristides Gomes disse lamentar a morte de um cidadão guineense e apresentou as condolências aos familiares do malogrado e o “profundo lamento pela perda de uma vida humana.”

“Queremos realçar que, tudo isto é sequência de uma crónica anunciada”, afirmou o primeiro-ministro.

Segundo ele, é necessário lembrar que o candidato do MADEM-G15 às presidenciais de 24 de Novembro, Umaro Sissoco Embalo ameaçou implantar o caos no país. Facto que foi amplamente divulgado na imprensa ao longo desta semana.

Num áudio divulgado pelo Primeiro-ministro no inicio da semana e atribuído ao candidato do MADEM-G15, Umaro Sissoco, há a afirmação de que este iria financiar o golpe de estado através do vandalismo nas ruas.  

Para Aristides Gomes, “o propósito deste acto é claramente a tentativa de inviabilizar a organização das eleições presidenciais deste ano e, consequentemente, perturbar a votação prevista para 24 de Novembro de 2019. O Primeiro-ministro fez a denúncia de tentativa de golpe de estado e prometeu a condução de um inquérito para provar a autenticidade do áudio, como sendo a voz do candidato do MADEM-G15.

Relação com as drogas

Aristides Gomes fez uma ligação entre os distúrbios e a apreensão recorde de, aproximadamente, duas toneladas de cocaína, ocorrida há pouco mais de um mês, numa operação denominada “NAVARA” que contou com apoio de algumas instituições internacionais.

Convidado no dia 15 de Outubro pela Assembleia Nacional Popular a se pronunciar sobre a apreensão da droga, o Primeiro-Ministro informou que “no dia 20 de Novembro de 2018, a Presidência da República convocou, com carácter de urgência, embaixadores de alguns países na Guiné-Bissau, com residência em Dakar , para lhes comunicar que apreendeu uma quantidade de droga, armazenada no palácio e queria que esses embaixadores presenciassem o acto público de incineração”.

“É de se realçar que todo esse quadro para perturbar e assim adiar as eleições presidenciais acontece na sequência da apreensão de droga e a declaração pública do Primeiro-ministro em intensificar o combate ao tráfico internacional de droga e ao narcoterrorismo”, sentenciou Aristides Gomes.

Aristides Gomes encerrou a Conferência de Imprensa a afirmar a sua “determinação e convicção de que as eleições presidenciais se irão realizar impreterivelmente no dia 24 de Novembro de 2019, dando oportunidade ao povo de livremente escolher o seu próprio destino”, concluiu.

Assuntos Polícia  

Leia também