Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ciência e Tecnologia

04 Outubro de 2018 | 10h01 - Actualizado em 05 Outubro de 2018 | 15h19

Oitenta porcento dos angolanos terão acesso à banda larga em 2022

Luanda - Oitenta porcento da população angolana deverá ter acesso ao serviço de banda larga até 2022, informou, em Luanda, o secretario de Estado das Telecomunicações, Mário de Oliveira, durante o ?Breakfast com o regulador?, realizado pelo Instituto Angolano das Comunicações (INACOM).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Iniciativa enquadra-se nos objectivos da SADC

Foto: José Cachiva

De acordo com ele, esta pretensão enquadra-se nos objectivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas e da agenda 2030 da União Africana, cujas acções se encontram respaldadas nos compromissos da SADC 2025, bem como no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022.

Neste âmbito, de acordo com Mário de Oliveira, 50 porcento dos lares em cada Estados-membro da SADC deve estar conectado à internet, serviços básicos de banda larga têm de ser tornados acessíveis na SADC em, pelo menos, dois porcento do PIB mensal per capita.

Todos Estados-membros devem possuir um plano nacional de banda larga ou incluído banda larga na sua definição de serviço de acesso universal, bem como apresentar usuários de banda larga/internet na ordem dos 65 porcento.

Ainda no âmbito do PDN, 60 porcento dos jovens e adultos, em cada membro da SADC, deve ter alcançado pelo menos um nível mínimo de referência nas habilidades digitais sustentável e a desconexão das pequenas e média empresas deve ser reduzidos em 50 porcento por sector, bem como 40 porcento da população deve usar serviços de finanças digitais.

Segundo ele, o PDN 2018-2022 recomenda ainda que a igualdade entre os sexos deve ser lançada em todas as metas de banda larga da SADC e os serviços básicos ou os serviços de instalação nos agregados familiares do acesso à banda larga fixa ou móvel devem ser tornados acessíveis na SADC, passando a custar menos de 50 dólares ou dois porcento do PIB mensal per capita, prevalecendo o critério que for menos.

Leia também
  • 04/10/2018 13:30:33

    Angola com 15 equipas no concurso internacional de programação

    Luanda - Quinze equipas angolanas de cinco instituições de Ensino Superior (IES) representam Angola na 20ª edição do concurso internacional universitário de programação ao sul da África (The 20th South African Collegiate Programming Contest), entre os dias 19 e 20 deste mês.

  • 03/10/2018 20:18:33

    Centro Tecnológico aposta no rigor e na investigação científica

    Luanda - O Centro Tecnológico Nacional (CTN) prima pelo rigor e pela investigação científica, para tomada de decisões em matéria sobre Alterações Climáticas e Gestão Sustentável dos Solos, afirmou nesta terça-feira o seu director geral, Gabriel Luís Miguel.

  • 20/09/2018 09:53:45

    Moçâmedes ganha espaços de acesso à internet

    Luanda - Três espaços com sinal de internet gratuita serão inaugurados dia 24 deste mês, na cidade de Moçâmedes, no âmbito do projecto "Angola Online", que visa facilitar o acesso ao conhecimento por via da inclusão digital.