Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

04 Julho de 2020 | 13h07 - Actualizado em 07 Julho de 2020 | 12h41

Odete Tavares deixa AMUD sete anos depois

Luanda - Ao fim de sete anos, a antiga capitã da selecção nacional sénior feminina de andebol, Odete Tavares, abdica do concurso a um terceiro mandato à frente da Associação Angolana a Mulher e o Desporto (AMUD).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Presidente da Associação Angolana a Mulher e o Desporto, Odete Tavares (arquivo)

Foto: Osvaldos Serafim

Em declarações neste sábado à Angop, a propósito das eleições, marcadas para 15 de Agosto, em Luanda, a melhor guarda-redes de África em 2008 disse entender não serem os cargos vitalícios e que é chegado a hora de dar lugar a outras ideias.

Eleita em 2013 para o primeiro mandato iniciado em 2012, em substituição de Teresa Quarta, presidente fundadora do órgão, instituído dia 20 de Janeiro de 2009, a actual deputada à Assembleia Nacional foi reeleita para um segundo quadriénio em 2016.

O calendário eleitoral estipula o dia 30 deste mês como data limite para a entrega das listas (lista) concorrentes, sendo que a abertura das mesmas esta marcada para o dia seguinte (31).

A campanha eleitoral ocorrerá no período de 1 a 13 de Agosto, para dois dias depois conhecer-se aquela que será a terceira líder da organização desportiva feminina, em acto a ter lugar na sede do Comité Olímpico Angolano.

Sobre as candidaturas não ouve ainda pronunciamentos, mas a ANGOP soube de fonte da AMUD que, entre as apontadas, figuram a ex-andebolista Marcelina Quiala e Elzira Tavares, a antiga basquetebolista Nacissela Maurício e a actual vice-presidente, Ana Gourgel.

Fundada há 11 anos, a Associação Angolana a Mulher e o Desporto tem como objectivo a criação de políticas de desenvolvimento desportivo para o equilíbrio no género.

A promoção de campanhas de massificação nos bairros, palestras e seminários, apelos e advocacia no sentido da criação de um diploma legal referente à temática da inserção da mulher no desporto figuram igualmente entre os propósitos do organismo.

A vigência da antiga guarda-redes do Petro de Luanda e do 1º de Agosto foi marcada pela realização de acções de formação para treinadoras e árbitras, palestras e disputa de jogos tradicionais por algumas províncias do país.

Assuntos Polidesporto  

Leia também
  • 05/07/2020 13:17:12

    José Mundila reeleito presidente do Inter da Huíla

    Lubango - José Mundial foi neste sábado reeleito presidente do Inter da Huíla com 227 votos a favor, correspodendo a 87,27 por cento dos sufrágios válidos, batendo na concorrência Leonor Santana.

  • 29/06/2020 07:56:30

    Associação do Moxico quer judo nos municípios

    Luena - A dinamização do judo nos municípios e apoios aos clubes locais com material desportivo figuram entre as apostas do presidente da Associação provincial da modalidade no Moxico, para o quadriénio 2020/24.

  • 27/06/2020 18:52:54

    Petro focado nas infraestruturas

    Luanda - A construção de infraestruturas desportivas, com destaque para um estádio, é uma necessidade imperiosa do Petro de Luanda, como forma de perpetuar a grandeza do clube, afirmou neste sábado o presidente honorário da colectividade, Hermínio Escórcio.