Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

08 Novembro de 2018 | 07h36 - Actualizado em 08 Novembro de 2018 | 11h58

Angola/Zâmbia: Oleoduto avaliado em cinco mil milhões de USD

Luanda - Cerca de cinco mil milhões de dólares americanos é o montante previsto pelo governo zambiano, para a construção do oleoduto que poderá ser implementado entre Angola e a Zâmbia disse, na noite desta quarta-feira, em Luanda, o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos de Angola, Diamantino Azevedo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O governante falava, à imprensa, no Aeroporto Internacional 04 de Fevereiro, momentos após o regresso da Zâmbia, onde efectuou uma visita de trabalho de cinco dias, a convite do seu homólogo zambiano.

De acordo com o ministro, os zambianos apontam este valor já numa fase preliminar dos estudos, enquanto Angola apenas estabeleceu as condições de se começar a discutir o projecto, sem apresentar propostas orçamentais.

Esclareceu que, o Memorando assinado na Zâmbia, não é um para a construção de um oleoduto, mas sim de “Cooperação no sector dos Petróleos e Gás”, onde se estabelecem os critérios para o reforço da colaboração entre os dois países, nas referidas áreas.

Adiantou que, apesar de se ter realizado uma reunião técnica entre as empresas zambianas interessadas no projecto e a Sonangol, “ainda não estabelecemos a decisão final sobre a construção do papline (oleoduto) ”.

Considerou que o memorando tem vantagens para os dois países, na medida em que facilita todo o tipo de projectos do sector, lembrando que a Zâmbia não tem acesso ao mar, o que lhe dificulta a importação de petróleo e seus derivados, um aspecto a favor de Angola.

Diamantino Azevedo revelou que, no âmbito de uma estratégia de cooperação regional levada a cabo pelo Ministério, deslocou-se na última semana de Outubro à RDC, onde analisou questões ligadas à cooperação, nomeadamente a exploração conjunta de petróleo nas áreas fronteiriças, e à exportação de derivados de petróleo de Angola para aquele país.

No quadro do reforço da cooperação regional no sector dos petróleos e demais recursos minerais, o Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos de Angola tem agendados, para breve, encontros com autoridades da África do Sul, Botswana e da Namíbia.

Assuntos Cooperação   Petróleos   Zâmbia  

Leia também