Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

08 Novembro de 2018 | 16h42 - Actualizado em 08 Novembro de 2018 | 16h43

BPC aposta na construção de novas agências

Luanda - O Banco de Poupança e Crédito (BPC) vai construir, nos próximos tempos, novas agências bancárias nos municípios de Viana e Cacuaco, província de Luanda e em outras regiões do País que registam um significativo crescimento populacional.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Alcides Safeca, PCA do BPC

Foto: Rosário dos Santos

A iniciativa, que visa reduzir os índices de exclusão financeira, foi anunciada nesta quinta-feira, em Luanda, pelo Presidente do Conselho de Administração do BPC, Alcides Safeca.

O responsável, que não precisou o número de agências que brevemente serão erguidas, disse estar a decorrer em simultâneo o processo de redimensionamento da rede comercial, que prevê o encerramento de agências que estavam alocadas em instalações arrendadas e a reabertura de outras que são propriedades do Banco.

O banco conta com a maior rede de balcões do País, com mais de 400 pontos de atendimento espalhados em todo território nacional.

 Explicou que o banco está a passar por um processo de mudança com a implementação do plano de recapitulação e reestruturação, que implica a reorganização da área comercial, a optimização dos custos, o aumento da produtividade e o relançamento da actividade comercial.

Em relação às mudanças, acrescentou que o processo  visa a recuperação do crédito mal parado, a estabilidade do banco, o resgate da confiança dos clientes, do mercado bancário e do sistema financeiro angolano.

No final do encontro, que juntou mais de 300 empresários, Alcides Safeca disse que a principal preocupação apresentada por esta classe está relacionada com o facto de o banco financiar 80 por cento dos projectos, cabendo aos promotores encontrarem outras formas de buscar os demais recursos.

Disse que o banco tomou boa nota as preocupações apresentadas pelos empresários e vai encontrar uma saída, entre as quais a utilização dos títulos do tesouro.

A linha de crédito do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) está avaliada em USD 320 milhões, dos quais USD 120 milhões já estão disponíveis, destinados às pequenas e médias empresas dos sectores da indústria, agropecuária, e energia e águas e pesca.

O vice-presidente da Associação Industrial de Angola, José Canjimba, disse ser uma boa iniciativa o banco voltar a conceder crédito, mas os projectos devem ser cuidadosamente elaborados para que tenham êxito na sua implementação.

Alguns empresários defendem a adesão ao seguro agrícola, devido ao risco existente na actividade agro-pecuária. Outros entendem que o financiamento do BPC deveria servir para apoiar e melhorar os trabalhos das pequenas e médias empresas já existentes.


 

Assuntos Banco  

Leia também
  • 08/11/2018 10:44:12

    BNA defende políticas económicas e decisões assertiva

    Malanje - O Banco Nacional de Angola (BNA) está a disponibilizar mensalmente à economia entre 550 a 600 milhões de dólares, daí o seu governador, José Massano, ter defendido quarta-feira em Malanje a necessidade da classe empresarial ajustar-se à actual realidade económica do país, com políticas económicas e decisões de negócios assertivas.

  • 31/10/2018 16:32:45

    Banco de Poupança e Crédito inicia processo de concessão de crédito

    Luanda - O Banco de Poupança e Crédito (BPC) tem disponível cerca de 120 milhões de dólares, para financiar projectos de empresas (principalmente pequenas e médias empresas) e também algumas ligadas ao micro-crédito, informou hoje em Luanda, o seu presidente do conselho de administração da instituição, Alcides Safeca.

  • 22/10/2018 11:43:24

    BNA adverte bancos a observar regras do pagamento antecipado

    Luanda - O Banco Nacional de Angola (BNA) vai sancionar os bancos comerciais que não observarem as regras aplicáveis às operações cambiais de pagamentos antecipados e ficarão impedidos de realizar novas operações cambiais de importação de mercadorias.