Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

14 Abril de 2018 | 00h43 - Actualizado em 15 Abril de 2018 | 14h13

Primagest nunca fez parte da Sonangol

Luanda - A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) esclareceu nesta sexta-feira, em comunicado de imprensa, que as empresas Berkeley, Primagest (sociedades gestoras S.A) e a Leadervalue (Consultoria Investimentos S.A), nunca fizeram parte de qualquer estrutura empresarial detida a qualquer título pela concessionária.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Edifício sede da Sonangol em Luanda

Foto: Pedro Parente

A Sonangol, que reage às recentes notícias publicadas na comunicação social angolana e portuguesa, observa subsistir dúvidas sobre a sua  declaração feita em Abril de 2016, na qual julga de forma clara, ter declarado que a  empresa Primagest  “não é nem era”,  entre 2011 a 2013, sua subsidiária.

Acrescenta que, a Primagest não fazia parte, nem estava, de qualquer outra forma, consigo relacionada, reiterando que o mesmo esclarecimento também se aplica às empresas Berkeley - Gestão e Serviços S.A e a Leadervalue- Consultoria Investimentos S.A.

Por outro lado, e para que também não subsistam dúvidas, a Sonangol declara expressamente que não tem, nunca teve, directa ou indirectamente, qualquer relação com a aquisição do Grupo Empresarial COBA pela Berkeley - Gestão e Serviços S.A. e pela Leadervalue - Consultoria Investimentos S.A., ou, sequer, com a actividade desse grupo empresarial nos anos que se seguiram, seja no que respeita às empresas registadas em Angola, seja no que respeita às empresas registadas em Portugal, nomeadamente a COBA - Consultores para Obras Barragens e Planeamento S.A. e a COBA-Consultores de Engenharia e Ambiente S.A.

“Embora a Sonangol não reaja a todas e quaisquer notícias publicadas a seu respeito, nomeadamente às que não acarretam repercussões ou prejuízos significativos para si ou para terceiros, no caso em apreço, pela repercussão que pode ter e pela gravidade do que está em causa, não pode deixar de publicamente fazer este esclarecimento”, lê-se  na nota da Sonangol.

Assuntos Petrolíferas  

Leia também
  • 22/03/2018 17:14:39

    Heerema Angola na eminência de despedir mais de 200 funcionários

    Sumbe - A empresa de fabricação de estruturas de aço para empresas petrolíferas "Heerema Angola", no Porto-Amboim, província do Cuanza Sul, vai despedir nos próximos dias 254 trabalhadores nacionais e estrangeiros.

  • 13/03/2018 18:32:02

    Ruptura no oleoduto causa derrame de petróleo no Soyo

    Soyo - Uma ruptura verificada na tubagem de transporte do crude entre as bases petrolíferas de Kinfuquena e Pangala, em on-shore, no município do Soyo, província do Zaire, está na origem do derrame de média proporção registada na madrugada desta terça-feira, no bairro Kitona, periferia da cidade.

  • 28/02/2018 16:29:46

    Sonangol deve USD 1,3 mil milhões ao Estado

    Luanda - Quarenta e cinco milhões de dólares (USD) são pagos mensalmente ao Estado Angolano, pela Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol E.P), no quadro da dívida da empresa, em impostos, avaliada em USD 1,3 mil milhões.