Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

12 Julho de 2018 | 19h17 - Actualizado em 12 Julho de 2018 | 19h17

FILDA/2018: Angolanos e estrangeiros fecham negócios

Luanda - Empresários da África do Sul, Itália e de Portugal, que participam pela primeira vez na Feira Internacional de Luanda (FILDA2018), firmaram parcerias com angolanos, no domínio do comércio, para fornecimento de produtos diversos.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

FILDA 2018:

Foto: Gaspar dos Santos

Em entrevistas a empresários sul-africanos, italianos e portugueses, que estão a expor na FILDA, notou-se que um grande número está interessado em parcerias com empresas angolanas e que outros firmaram acordos preliminares.

A título de exemplo, a empresa sul-africana de vinhos Bayede, que estabeleceu uma parceria com a rede de supermercados Candando, para que a marca deixasse de ser comercializada apenas pela rede sul-africana, Shoprite.

Apesar de a Bayede já ser consumida e conhecida em Angola, a empresa não tem ainda um distribuidor oficial, pois até então, apenas a Shoprite era detentora da referida marca no país.

O representante da empresa na feira de negócios, Chris Whelpton, considerou a presença no evento como sendo “muito positiva e produtiva”, pois conseguiu mais dez contactos de potenciais parceiros desde a abertura da feira.

De acordo com o empresário, embora hajam bons contactos  com os investidores nacionais, a sua  empresa prefere por enquanto não adiantar dados relacionados com a ideia de instalar uma fábrica de vinho em Angola, tendo em conta a situação económica e da falta de cambiais.

Por sua vez a empresa Italiana, Tifone que produz máquinas para a desinfestação agrícola, já conseguiu estabelecer seis contactos com empresas angolanas ligadas à agricultura para exportar seus produtos.

Pela primeira vez em Angola e como participante da feira, o gerente internacional, Alberto Bottoni espera estabelecer “boas” parcerias com os angolanos para comercialização dos seus produtos, por forma a estreitarem-se a relações de negócios que visam engrandecer economicamente os dois países.

Segundo o empresário, a empresa está no norte da Itália, tem  40 trabalhadores e funciona como uma empresa familiar. Alberto Bottoni espera encontrar, além de empresas, pessoas interessadas em adquirir produtos para o tratamento de pragas típicas na agricultura.

Já a  empresa portuguesa Porto World, fornecedora de carnes para vários países, apesar de já estar no mercado angolano há 12 anos nunca participou de nenhuma edição. Tem participado em feiras sectoriais e o director, Pedro Silva, diz estar expectante com os resultados e contactos que poderá ter durante a vigência da FILDA.

Entretanto, apesar de Angola não ser o principal mercado para a Porto World, com representação de apenas 5% da facturação do grupo, que está estimada em 100 milhões de euros/ano, a instituição “acredita que é um mercado que vale muito continuar a investir”.

A 34ª edição, que decorre nas instalações da Zona Económica Especial Luanda Bengo (ZEELB),  conta com 372 expositores de 15 países, um aumento de 125 expositores em relação a 2017.

Na exposição participam empresas de Angola (país anfitrião), África do Sul, Espanha, Estados Unidos da América, Gana, Holanda, Índia, Itália, Macau, Portugal, Reino Unido, Rússia e Suécia.

Fazem ainda parte a Turquia, Uruguai, Japão e Moçambique que estão a expor numa área aproximada de três hectares.

Rússia e o Gana são os estreantes, enquanto o Brasil, tradicional participante, é o grande ausente desta edição, que decorre sob lema “Diversificar a Economia, Desenvolver o Sector Privado".

Portugal continua a ser o maior expositor estrangeiro de sempre e desta vez vem com 25, contra 16 de 2017, mantendo deste modo a tradição.

A feira é uma promoção do Ministério da Economia, em parceria com a empresa Eventos Arena. Nela estão patentes produtos e serviços de vários sectores como do ambiente, energia e petróleos, agricultura, pecuária, bebidas, banca e seguros, comércio geral e construção.

Assuntos Economia   Feira  

Leia também
  • 12/07/2018 18:40:40

    FILDA/2018: Investimentos geram empregos - AIPEX

    Luanda - A adopção de um programa de captação de investimento ?qualificado? permitirá aumentar a geração de emprego e a substituição da importação, considerou hoje o presidente do conselho de administração da Agência de Investimento e Promoção das Exportações (AIPEX), Licínio Contreiras.

  • 12/07/2018 18:09:43

    FILDA/2018: Demonstra capacidade dos empreendedores nacionais

    Luanda -A 34ª edição da Feira Internacional de Luanda (FILDA/2018), que decorre de terça-feira, demonstra a capacidade dos empreendedores nacionais em superar as dificuldades, afirmou hoje o governador do Banco Nacional de Angola (BNA), José de Lima Massano.

  • 12/07/2018 17:49:56

    FILDA/2018: Workshop sobre rede multicaixa marca terceiro dia

    Luanda - A realização de um workshop sobre adesão ao serviço de pagamentos na rede multicaixa, para empresas, e de um seminário sobre a Lei do Investimento Privado, marcaram o terceiro dia da 34ª edição da Feira Internacional de Lunada (FILDA/2018), dedicado a Angola.