Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

14 Março de 2019 | 16h20 - Actualizado em 14 Março de 2019 | 16h20

BNA avalia activos de 12 bancos comerciais

Luanda - O Banco Nacional de Angola (BNA) vai avaliar, no próximo mês de Abril, a qualidade dos activos de 12 maiores bancos comerciais, no quadro da estabilização do sistema financeiro angolano, anunciou hoje o vice-governador do Banco Central, Manuel Tiago Dias.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Edifício do BNA

Foto: Francisco Miudo

BNA informa ao Corpo Diplomático a evolução recente da economia angolana

Foto: Francisco Miudo

No universo de 27 instituições, estarão em avaliação os activos dos bancos Angolano de Investimento (BAI), Fomento Angola (BFA), Comércio e Indústria (BCI), Poupança e Crédito (BPC), Internacional de Crédito (BIC), Millenium Atlântico (BMA), Sol, Negócios Internacional (BNI), de Desenvolvimento de Angola (BDA), de Comércio Angolano (BCA), Caixa Angola (CA), Económico (BE).

O programa de avaliação da qualidade dos activos dos bancos comerciais foi elaborado em função do rácio de incumprimento ter subido, de 2016 a 2017, de 12,6 por cento para 28 por cento.

Ao falar à imprensa, após apresentar a evolução recente da economia nacional ao corpo diplomático acreditado em Angola, Manuel Dias informou que a avaliação da qualidade dos activos é um exercício que se realiza periodicamente para aferir a informação que os bancos comerciais fornecem ao BNA.

Sobre o encontro, disse que mostraram aos diplomatas a evolução recente da economia nacional, que aumentou a rendibilidade por causa das operações cambiais e títulos de dívidas pública, além dos indicadores fiscal, monetário-financeiro e o quadro geral macroeconómico do país.

Relativamente à problemática de os bancos diminuírem a concessão de créditos aos agentes económicos, justificou o facto de se registar um alto índice de crédito mal parado no mercado, estimado em 30 por cento.

Porém, assegurou que, no âmbito da divulgação das medidas tomadas para apoiar o sector produtivo nacional, o BNA está estimular os bancos comerciais a aumentar o crédito ao sector privado nacional.

Por sua vez, o director do departamento de Supervisão Bancária do BNA, Tuneca Lucal, após buscar um histórico do sistema financeiro angolano, assegurou que o sector bancário angolano tem um rácio, actualmente, solvente e sustentável, cuja solvibilidade está na ordem de 23 por cento.

Na ocasião, anunciou ainda a revisão da lei das instituições financeiras, que poderá afastar da gestão bancária, Pessoas Politicamente Expostas (PPE), além de conformar ao momento actual a lei de branqueamento de capitais, podendo incluir nela a Unidade de Informação Financeira (UIF).

O Sistema Financeiro Angolano possui 27 instituições bancárias, dos quais três bancos públicos (BPC, BCI e BDA), cinco filiais de bancos estrangeiros, uma sucursal chinesa e 18 bancos comerciais.

Leia também
  • 15/03/2019 05:09:57

    Preços dos produtos da cesta básica "sobem" no Uíge

    Uíge - Os principais produtos que compõem a cesta básica, como açúcar, arroz, óleo, massa alimentar e outros registam, nos últimos dias, uma acentuada subida de preços, nos principais armazéns e mercados formais e informais na cidade do Uíge.

  • 14/03/2019 19:04:11

    Governo quer apoio do BM para economia digital

    Luanda - O governo angolano está a trabalhar com o Banco Mundial para o país ter de facto uma economia cada vez mais digital, informou nesta quinta-feira, em Luanda, o ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha.

  • 14/03/2019 18:18:24

    BM disponibiliza mais verbas para agricultura

    Calandula - Doze milhões, 143 mil kwanzas é o valor disponibilizado hoje pelo Banco Mundial (BM) a 131 Escolas de Campo, das 173 existentes na província de Malanje, no âmbito do Projecto de Agricultura Familiar e Comercialização (Mosap II), para o reforço da produção agrícola e auto-sustentabilidade das mesmas.

  • 14/03/2019 18:13:15

    Incêndio destrói dois armazéns na Huíla

    Lubango - Dois armazéns do estabelecimento comercial "Nossa Casa" do grupo Ango Mart foram totalmente destruídos por um incêndio de grandes proporções, presumivelmente provocado por um curto-circuito, segundo o corpo de bombeiros.