Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

07 Junho de 2019 | 14h26 - Actualizado em 07 Junho de 2019 | 16h11

Arrecadação de receitas aumenta 20 por cento no Bailundo

Bailundo - Setenta e sete milhões, 493 mil e 731 kwanzas é o valor arrecadado, de Janeiro a Maio deste ano no município do Bailundo, província do Huambo, com um aumento de 20 por cento em relação ao igual período anterior.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Huambo: Vila do Bailundo

Foto: Angop

Em declarações hoje, quinta-feira,  à ANGOP,  o chefe da repartição fiscal do Bailundo, António Feliciano Braça, informou que o aumento das receitas em 23 milhões, 504 mil e 443 Kwanzas, deveu-se a intensificação das campanhas sobre a importância do pagamento de impostos ao Estado.

Referiu que as receitas resultaram da cobrança de impostos sobre o rendimento de trabalho por conta de outrem, de aplicação de capitais, de transmissões imobiliárias por título oneroso,  de consumo e de serviços hoteleiros e similares.

Também foram cobrados, segundo o responsável, o imposto industrial, predial urbano, de consumo de água e de electricidade, de arrendamento de imóveis, de equitação de terrenos e da taxa de circulação, bem como de selo resultante das operações bancárias.

António Feliciano Braça afirmou que arrecadação de receitas constitui a única forma para tornar o município ou qualquer outra região auto-sustentável financeiramente, por ser um privilegiado meio de política económica e social, que permite a adopção de medidas de protecção de indústrias nacionais, incentivos fiscais, bem como a redistribuição de riquezas e outros fins.

A repartição fiscal do município do Bailundo, 75 quilómetros da cidade do Huambo, tem sub sua jurisdição os municípios do Cachiungo, Londuimbali e Mungo, com um total de 62 grupos de contribuintes da classe A (empresas ou sociedades com capital igual ou superior a dois milhões de Kwanzas e com uma facturação bruta igual ou superior a 500 milhões de Kwanzas).

Conta igualmente com 250 da classe C (em sede da classificação do imposto sob rendimento de trabalho por conta de outrem, de profissionais liberais e pequenos operadores económicos).

 

Leia também
  • 31/05/2019 18:06:41

    INADEC forma hoteleiros sobre higiene e segurança alimentar

    Huambo - Vinte e três operadores hoteleiros da província do Huambo foram formados, nos primeiros três meses deste ano, pelo Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC) em matéria de higiene e segurança alimentar, para a prevenção de riscos de contaminação de alimentos nos hotéis.

  • 31/05/2019 17:52:44

    Avenida da independência deixará de ter estabelecimentos grossistas

    Huambo - A avenida da independência, vulgarmente conhecida por Rua 5 de Outubro, na cidade do Huambo, vai deixar de ter, em breve, estabelecimentos de venda grossista, depois de se concluir a transferência destes para uma zona no bairro São Pedro.

  • 31/05/2019 17:48:46

    Licenciamento de estabelecimentos comerciais em queda no Huambo

    Huambo - O licenciamento de estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços registou este ano, na província do Huambo, uma queda notável, passando de 650, entre Janeiro a Maio de 2018, para 296 este ano.