Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

19 Setembro de 2019 | 16h14 - Actualizado em 19 Setembro de 2019 | 16h14

Emirados Árabes e Angola avançam para produção de cereais

Luanda - Angola e os Emirados Árabes Unidos (EAU) assinaram nesta quinta-feira, em Luanda, dois memorandos de entendimento no domínio da agricultura, para potenciar o cultivo do milho e soja, bem como a criação de aves.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Cuanza Sul: Cultivo de soja na fazenda Santo António no município da Kibala (arq)

Foto: Francisco Miúdo

O primeiro memorando tem como foco a criação de uma fábrica de produção de equipamentos de mecanização agrícola, a ser instalada na Zona Especial Económica, (ZEE) no município de Viana, província de Luanda.

O segundo visa a criação de uma fazenda para o cultivo de milho, soja e criação de aves na província do Cuanza Sul, de acordo com o ministro da Agricultura e Florestas, António Francisco de Assis.

Por Angola assinou o ministro António Francisco de Assis, enquanto pelos Emirados Árabes rubricou o sheik Ahmed Dalmook Al Maktoum.

Na ocasião, o titular da pasta da Agricultura de Angola disse o projecto visa melhorar as condições sociais e económicas das famílias angolanas, tendo em conta que haverá espaço para inclusão da mão-de-obra camponesa local.

Segundo o ministro, a implantação da fábrica de equipamento para mecanização e a denominada Fazenda “América” constituem um marco no processo da diversificação da economia e alavancará o investimento privado estrangeiro em grande escala no país.

“A população vai poder participar directamente, é um projecto que vai potenciar o cultivo do milho e soja, assim como a criação de frango, sendo que terá o seu inicio nos próximos dias” ressaltou.

A unidade fabril de equipamentos agrícolas vai dar resposta às necessidades de Angola e dos países vizinhos, sendo que a princípio vai produzir-se para o consumo local, e posteriormente o excedente serão exportados para os países da circunvizinhança, frisou o Sheik Ahmed Dalmook Al Maktoum.

Sem avançar o valor do investimento, o Sheik frisou que o projecto vai criar três mil postos de trabalho directos e indirectos, o que dinamizará o sector da agricultura no que toca à produção.

Agradeceu o Executivo angolano pela abertura que está a proporcionar aos investidores, pois trará crescimento para Angola e aos países vizinhos.

Os Emirados Árabes Unidos propuseram-se, em Julho último, a investir cerca de dois mil milhões de dólares na instalação de uma linha de montagem de tractores em Angola, na produção de electricidade e gás e na agricultura.

Os Emirados Árabes Unidos é uma confederação de monarquias árabes localizada no Golfo Pérsico e têm a sexta maior reserva de petróleo do mundo, sendo uma das mais desenvolvidas economias do Médio Oriente.

O país tem a trigésima sexta maior economia a taxas de câmbio de mercado do mundo. É um dos países mais ricos do mundo por Produto Interno Bruto.

Assuntos Agricultura   Cooperação  

Leia também
  • 16/09/2019 13:36:27

    Ano agrícola: Sector quadruplica charruas de tracção animal

    Luanda - O sector agrícola do país vai contar, para campanha 2019/2020, com 60 mil novas charruas de tracção animal, um aumento significativo de meios, representando o quádruplo em relação ao disponibilizado na época finda.

  • 16/09/2019 08:10:51

    Embaixador apela ao investimento chinês no sector mineiro

    Luanda - O embaixador de Angola na China, João dos Santos, apelou hoje (segunda-feira), em Beijing, aos mais de 150 participantes do 3º Roadshow para concessões mineiras, objecto de concurso público, a investirem na exploração mineira no território angolano.

  • 14/09/2019 18:43:55

    Governador defende intensificação da actividade agrícola

    Sumbe - O governador provincial do Cuanza Sul, Job Castelo Capapinha, defendeu hoje, sábado, no Sumbe, a intensificação da actividade agrícola e turística, para a diversificação da economia local.