Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

04 Julho de 2020 | 19h41 - Actualizado em 04 Julho de 2020 | 19h41

Bié colhe 800 mil toneladas de produtos

Cuito - Pelo menos 800 mil toneladas (TN) de produtos diversos, com realce para cereais (milho e arroz) e hortícolas, devem ser colhidas na província do Bié, durante a campanha agrícola 2019-2020.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A colheita vem sendo feita por mais de 101 mil famílias, assistidas através do projecto Mosap II, no âmbito do Programa Rural e de Fomento à Agricultura na província.

Conforme o director do gabinete provincial da Agricultura, Floresta e Pescas, Marcolino Sandemba, que falava em entrevista à Angop, foram produzidos 400 mil hectares (HA) na presente campanha. Constam dos bens em colheita 300 mil TN de milho, mil e 185 de arroz, 109 mil TN de leguminosas e outras TN de tubérculos (mandioca, batata rena e batata doce).

Segundo o responsável, que não avançou dados comparativos com o ano anterior, as autoridades locais prevê-se também a colheita, esse ano, de 184 toneladas de café, nas localidades de Andulo e Nharea.

Para facilitar a colheita, o governo local pôs à disposição 50 tractores, no quadro da mecanização agrícola, que se pretende, posteriormente, vender aos agricultores.

Apesar da considerável produção, as autoridades e os agricultores locais enfrentam dificuldades para o rápido escoamento dos produtos, do campo para a cidade, a fim evitar a deterioração.

Conforme as autoridades locais, pelo menos 15 porcento da produção, sobretudo de produtos perecíveis, perde-se regulamente, por causa dos problemas de escoamento.

Ainda assim, segundo Marcolino Sandemba, a produção tem chegado a muitas paragens do país, como às províncias do Cuando Cubango, Huambo Moxico e da Lunda Sul.

Actualmente, o sector da Agricultura no Bié controla oito mil e 797 cooperadores, em 245 cooperativas e 52 mil e 892 camponeses associados. Conta com um técnico superior e um engenheiro agrário em cada um dos nove municípios, havendo, no total, 20 técnicos superiores do sector.

Com um milhão 455 mil 255 habitantes, a província controla 1.321 associações de camponeses e perto de 850 escolas de campo, das mil e 360 previstas, até 2021.

Para a próxima época agrícola, de acordo com as autoridades, já existe uma Brigada de Mecanização Agrícola a nível de cada um dos nove municípios da província a trabalhar, em cooperação com o Instituto de Desminagem (INAD), para o levantamento de mais áreas agricultáveis.

Para tal, serão distribuídas 65 TN de sementes de arroz para todos os municípios, com destaque para Camacupa, Catabola, Cuito e Cuemba, bem como hortículas.

Cada circunscrição deve receber também 500 gramas de tomate e cebola, além de 200 gramas de repolho, com uma área total de cada município de 20 hectares (HA).

Com uma extensão de 70.314 quilómetros quadrados e mais de milhão de habitantes, a província do Bié, além do milho e batata rena, produz também soja, gergelim, mandioca, café e outros produtos.

Sementes de arroz e hortícolas

Noutro domínio, o Gabinete da Agricultura, Florestas e Pescas começou, no mês de Junho, a distribuir 65 toneladas (TN) de sementes de arroz para os nove municípios, bem como quinhentas gramas de sementes de hortícolas diversas nestas regiões.

De acordo com Marcolino Sandemba, os agricultores estão a receber 500 gramas de tomate, igual quantidade de cebola, repolho, couves, entre outros, que serão lançados em 20 hectares de terra.

Quanto à produção de arroz, avançou que, apesar de terem distribuído em todos os municípios, o foco continua a ser as localidades do Cuito, Camacupa, Cuemba e Catabola, por serem as mais produtivas.

Com as sementes entregues, sobretudo de arroz, prevê-se o fomento deste produto, na medida em que os agricultores já beneficiaram de formação em termos de técnicas de cultivo, desde 2012, dada pela Agência Internacional de Cooperação Japonesa e pelo Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA).

A propósito, Marcolino Sandemba desmente que o sector esteja a comercializar fertilizantes, principalmente adubo, actualmente orçado em 35 mil kwanzas cada unidade no mercado informal, contra os 10 mil kwanzas do mercado oficial.

Explica que, pelo facto de o país não produzir fertilizantes, o Governo tem vindo a subvencionar e distribuir aos camponeses locais, sendo que a província assiste 101 mil famílias, através do MOSAP II, que adquirem o saco de adubo a cinco mil.

Entretanto, o Governo local autorizou, para o efeito, três empresas situadas no Chinguar, Camacupa e Cuito, que vendem fertilizantes aos camponeses dos corredores, Sul, Leste e Norte da província, a preços acima dos cinco mil kwanzas.

Segunda Feira da Batata e do Milho em Estudo

Outro projecto em carteira, na província do Bié, é a realização da 2ª edição da Feira da Batata e do Milho, ainda não materializada, por causa da Covid-19.

O director do Gabinete Local da Agricultura, Florestas e Pescas, Marcolino Sandemba, sublinhou estar ainda em estudo a melhor data para a realização desse evento, devido à subida de casos de Covid-19 no país, apesar de inicialmente ter sido marcado para Agosto.

A primeira Feira da Batata e do Milho decorreu em Agosto de 2019, com 176 expositores, no município de Chinguar, tendo propiciado negócios na ordem de 342 milhões, 417 mil e 200 kwanzas, fruto da venda de produtos diversos.  

Assuntos Província » Bié  

Leia também
  • 25/06/2020 18:43:31

    Finanças retira verbas aos incumpridores no Bié

    Cuito - As unidades orçamentadas que não cumprem, nos prazos estabelecidos, a prestação de contas das verbas a si alocadas pelo Estado, na província do Bié, deverão perder a atribuição dos valores nos próximos meses.

  • 24/06/2020 18:18:27

    Camacupa promove Primeira Feira do Arroz

    Camacupa - Dez toneladas de arroz, das três mil expostas na Primeira Feira deste produto, foram comercializadas durante dois dias do evento, encerrado hoje, quarta-feira, no município de Camacupa, a 82 quilómetros a leste da cidade do Cuito, província do Bié.

  • 22/06/2020 03:01:11

    Produtores queixam-se da falta de escoamento

    Luanda - A cadeia de produção, distribuição e consumo de bens produzidos nos campos agrícolas do país continua a enfrentar sérios problemas, com grandes prejuízos para os agricultores, que perdem parte significativa da sua produção.