Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

23 Julho de 2020 | 18h50 - Actualizado em 23 Julho de 2020 | 20h05

PRODESI já investe na modernização da indústria na Catumbela

Catumbela - A empresa Tutiangol, localizada no município da Catumbela, vai aumentar, ?dentro de pouco tempo?, a sua produção de 1.095 toneladas de produtos alimentares/ano para mais de duas mil toneladas, graças ao financiamento recebido do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Fernando Neto, Director de produção da Tutiangol

Foto: José Honório

Amostra de produtos da Tutiangol

Foto: José Honório

Com os 350 milhões de kwanzas desembolsados pelo Banco Angolano de Investimentos (BAI), dos 600 milhões solicitados, a Tutiangol, instalada no Pólo de Desenvolvimento Industrial da Catumbela, vulgo PDIC, tornou-se na primeira empresa do ramo industrial, na província de Benguela, a beneficiar do financiamento do PRODESI, no âmbito do programa de alívio económico.

E o impacto imediato é a modernização de quatro linhas de produção “multifunções” de molhos maionese, ketchup e mostarda, incluindo biscoitos, produzidos com matéria-prima importada, mas também angolana, com destaque para o jindungo do Dombe-Grande, manga, abóbora, tomate e melão.

Falando à imprensa no final de uma visita, esta quinta-feira, às instalações da Tutiangol, o director do Gabinete Provincial de Desenvolvimento Económico Integrado em Benguela, Samuel Maleze Quinda, disse que a empresa referenciada está no processo conclusivo de crédito de uma lista onde figuram mais de 200 propostas.

Daí ter Samuel Maleze Quinda afirmado que a modernização das linhas de produção e o aumento da produção da empresa Tutiangol são provas de que os investimentos do PRODESI estão já a surtir algum efeito em Benguela.

Com uma execução financeira de 58 porcento e física de 60 porcento, o responsável avançou que a empresa já pode agilizar os processos, a fim de que o BAI possa dar a segunda tranche do financiamento de 600 milhões de kwanzas, um valor que, no fundo, atende apenas 60 porcento das reais necessidades de modernização da Tutiangol, que rondam os mais de Akz mil milhões.

No entanto, o gestor não tem dúvidas de que o financiamento vem dar algum alento à Tutiangol no aspecto da modernização e estabilidade, porque vai aumentar o nível de produção. “Antes havia muita intervenção humana no processo fabril, o que contribuía para uma menor qualidade”, lembrou, acreditando que doravante haverá mais qualidade aos produtos diversos.

Visto que a unidade industrial está dependente a 80 porcento da importação, Samuel Quinda aponta agora como desafio reverter essa dependência e, uma vez conquistado o mercado interno, olhar para a exportação dos produtos para os países vizinhos de Angola, como República Democrática do Congo (RDC), Zâmbia ou Namíbia.

“Temos que olhar para a matéria-prima e esta vem da agricultura”, alerta. E enfatiza a necessidade de o país deixar de importar produtos como alho, por exemplo, já que, a seu ver, há potencial para uma produção interna em escala e o PRODESI é um programa através do qual o governo se propôs alcançar esse resultado.

Por outro lado, indicou que a Tendências, Indústrias e Comércio, é a segunda empresa no Pólo de Desenvolvimento Industrial da Catumbela com financiamento assegurado pelo PRODESI, embora, como defendeu, o objectivo do governo é que mais empresas em toda a província de Benguela beneficiem do alívio económico.

Produtos equiparados aos da Europa

Com 67 postos de trabalho já criados, sendo quatro expatriados, a Tutiangol já investiu, nos últimos dois anos, mais de 500 mil Euros de fundos próprios só em maquinaria, o que reduziu o capital circulante, uma situação agravada ainda mais com a desvalorização da moeda nacional, o Kwanza.

Assim, o director de produção da firma ressalta como a primeira tranche de 350 milhões desembolsados BAI vai facilitar a trabalhar com mais vontade para abastecer sem falhas o mercado com produtos de qualidade feitos em Angola, como que da Europa ou dos Estados Unidos se tratassem, através da modernização das linhas de molhos e pastelaria.

Leia também
  • 20/07/2020 19:43:18

    Campanha prevê vacinar 35 mil animais no Caimbambo

    Benguela - Dezoito mil e 888 cabeças de gado bovino, suíno e caprino, além de canídeos, foram já vacinados, no município do Caimbambo, província de Benguela, contra a peripneumonia contagiosa bovina, dermatite, carbúnculo sintomático e raiva, informou hoje, segunda-feira, o director local da Agricultura e Pescas, Euclides Quessongo.

  • 18/07/2020 11:15:05

    Fábrica de concentrado de tomate "inerte" no Dombe Grande

    Benguela - A comuna de Dombe Grande, província de Benguela, continua privada dos serviços das unidades fabris de processamento de tomate, de recipientes (latas) e de um entreposto (armazém), seis anos depois da conclusão das obras, pelo Governo.

  • 17/07/2020 11:14:32

    Falta de embarcações condiciona pescadores na Catumbela

    Lobito - Dez novas embarcações a motor é o que precisam anualmente os mais de mil pescadores artesanais no município da Catumbela, para resolver o problema do desemprego que afecta as comunidades piscatórias naquela circunscrição da província de Benguela.