Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

16 Setembro de 2020 | 08h38 - Actualizado em 16 Setembro de 2020 | 09h04

AGT faz 2º leilão online de mercadorias

Luanda - Duzentos e 89 lotes de mercadorias diversas serão vendidos a 20 de Setembro, em hasta pública, via online, pela Administração Geral Tributária (AGT).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Este segundo leilão on line (o primeiro foi a 12 de Julho último) inclui mercadorias concentradas, nos últimos anos, nos Centros Logísticos de Talatona e Aduaneiro do Quilômetro 33, em Viana, não reclamadas pelos seus proprietários.

Entre os materiais alistados estão eletrodomésticos e equipamentos de telecomunicações (11 lotes), mercadorias contentorizados (50 lotes), mobiliário e utensílios para residência (55 lotes), pecas auto e diversos (38 lotes).

O leilão inclui, igualmente, vestuário, calcado e acessórios (37 lotes), além de outros 20 lotes, cuja mercadoria não foi especificada pela empresa angolana.

Com a venda dos lotes, a AGT prevê arrecadar 166 milhões, 983 mil e 385 kwanzas para os cofres do Estado, conforme uma nota da instituição a que a Angop teve acesso.

Os interessados nas mercadorias em contentores terão de comprar todo e podem acessar o endereço https//: leilaoagt.minfin.gov.ao, para a viabilização das mesmas.

A praça “online” abre às 23:59 minutos do dia 20 e termina às 23:59 de 21 deste mês.

Foi a 12 de Julho que a AGT realizou o primeiro leilão de mercadorias via online, tendo arrecadado 71 milhões de kwanzas,  dos 29 milhões previsto, com a venda de 139 lotes.

A AGT decidiu deixar de  realizar leilões presenciais, passando ao modelo online, sendo o mais aplicável para a arrematação de mercadorias.

As mercadorias leiloadas constituem artigos abandonados, confiscados ou não desalfandegados pelos  proprietários.

Todas as mercadorias são licitadas quando excedem o prazo nos espaços aduaneiros, estando estipulado, no modal aéreo, 30 dias, para desalfandegamento, no sector portuário 60 dias, e para produtos perecíveis apenas 48 horas.

Assuntos Angola  

Leia também
  • 15/09/2020 23:11:17

    Unicef apoia transparência do OGE

    Luanda - O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) destacou, esta terça-feira, o facto de Angola criar uma agenda para identificar locais de investimentos prioritários, em resposta ao actual contexto económico resultante da Covid-19.

  • 15/09/2020 21:55:04

    EGTI reforça fiscalização de terrenos no Kilamba

    Luanda - A Empresa Gestora de Terrenos Infraestruturados (EGTI) advertiu, esta terça-feira, que vai reforçar a fiscalização das áreas adjacentes à Centralidade do Kilamba e proceder à destruição imediata das lavras ali existentes.

  • 14/09/2020 19:58:39

    Inapem sugere actualização da Lei das MPME’S

    Luanda - O presidente do Conselho de Administração do Instituto Nacional de Apoio às Pequenas e Medias Empresas (Inapem), Arnito Agostinho, sugeriu, esta segunda-feira, em Luanda, a actualização da Lei das Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPME’S).