Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

14 Junho de 2018 | 16h15 - Actualizado em 14 Junho de 2018 | 16h15

Docentes do Instituto Superior Politécnico Atlântida em seminário cientifico

Luanda - Oitenta docentes do Institutos Superior Politécnico Atlântida de Luanda, Instituto Superior Politécnico do Luena e do Instituto Teológico de Cabinda participam de uma acção formativa sobre investigação cientifica, no âmbito de um protocolo de capacitação com a Universidade Lusófona de Lisboa.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Docentes participantes no seminário de investigação científica

Foto: Cedida

ISPAtlântica

Foto: Cedida

Durante seis dias, os formandos aobrdam questões  ligadas a  ética da  investigação, metodologia da investigação, preparação de teses e monografia, assim como elaboração de trabalhos em grupo.

Em declarações à Angop, o prelector da acção formativa José  Brito, docente da Universidade Lusófona de Lisboa, defendeu a necessidade dessa acção formativa  por contribuir no aumento do seu grau académico  em mestrado e doutoramento e neste contexto necessitarem de fazer monografias teses e dissertações.

Para o interlocutor, este pressuposto implica fazer investigação científica que deve respeitar alguns parâmetros como a ética, metodologia, entre outros.  

Disse que o seminário  tem uma componente prática em que se consubstancia em exercícios  em grupos para desenvolver determinados estudos de caso.

Manifestou a disponibilidade da Universidade  Lusófona de  Lisboa em fornecer obras  de pesquisa  a biblioteca do Instituto Superior Politécnico  Atlântida com o  objectivo de facilitar a investigação científica, apesar de ser da opinião de que deve abordar mais  questões  práticas que  teóricas.

O  director geral adjunto para  a área científica  do Instituto Superior Politécnico  Atlântica,  Nsambu  Vicente, afirmou que  há conhecimentos que passam do empirismo para  o científico, tornando-se necessário que se cumpram  certas normas.

A acção serve para munir os  docentes de ferramentas metodológicas  partindo do princípio de que  ninguém  dá o que não  tem  e por essa razão são orientados para melhor dirigir os seus estudantes.

Apontou como um dos desafios do Instituto Superior Politécnico Atlântida a investigação científica com o objectivo de  estar  no ranking das melhores universidades do continente africano.

O Instituto Superior Politécnico Atlântida entrou em funcionamento em 2013 e conta com três mil alunos que estão a frequentar os cursos de Enfermagem, Análises Clínicas, Farmácia, Direito, Gestão de Recursos Humanos, Relações Internacionais, Gestão de Empresas, Gestão e Contabilidade, Economia, Psicologia e Pedagogia.

Assuntos Angola   Ensino Superior  

Leia também
  • 13/06/2018 15:24:00

    Huíla acolhe 1ª Conferência Internacional sobre Sudoeste Angolano

    Lubango - A província da Huíla acolhe, nos dias 27 e 28 do mês em curso, na cidade do Lubango, a 1ª Conferência Internacional sobre o Sudoeste Angolano, Valências e Saberes Endógenos, uma organização do Centro de Investigação e Desenvolvimento Educacional (CIDE) do Instituto Superior da Educação (ISCED-Huíla).

  • 13/06/2018 14:30:15

    Ministra apela à denúncia de fraude para ingresso nas universidades

    Sumbe - A fraude, amiguismo e nepotismo para o ingresso numa universidade no país é um "mal que está generalizado", pelo que toda a sociedade deve estar envolvida no combate ao mesmo, para que haja um ensino de qualidade, apelou, hoje (quarta-feira), no Sumbe (Cuanza Sul), a ministra do Ensino Superior, Maria Bragança Sambo.

  • 13/06/2018 10:59:15

    Cobertura escolar em 2016 se manteve insuficiente - relatório

    Luanda - A cobertura escolar em 2016 se manteve insuficiente no país em relação ao crescimento da população em idade escolar, em que as matrículas no ensino geral alcançaram cerca de 78,3 porcento da cobertura escolar, menos 5.7 porcento do que a respectiva meta.