Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

12 Outubro de 2018 | 11h19 - Actualizado em 12 Outubro de 2018 | 11h19

Superlotação de alunos em salas de aula preocupa professores em Luvaka

Mbanza Kongo - A lotação excessiva de alunos em salas de aula nas escolas primárias da sede comunal de Luvaka, município do Cuimba, província do Zaire, está a preocupar o corpo docente local que diz encontrar dificuldades para a transmissão de conhecimentos a mais de 100 alunos por turma.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Alunos em sala de aula (arquivo)

Foto: Pedro Parente

Abordados hoje pela Angop, foram unânimes em afirmar que a situação deve-se a insuficiência de escolas (três estabelecimentos) que a localidade dispõe onde 800 alunos de ensino primário estudam em apenas seis salas de aula.

Pedro Casimiro, professor da 3ª classe, precisou que a reforma educativa, ainda em curso no país, estabelece que uma sala de aula deve possuir no máximo até 45 alunos.

Reconheceu que a superlotação que se regista nas instituições de ensino primário na região, para além de violar as regras pedagógicas, dificulta também os alunos na absorção das matérias ministradas, facto que concorre para o baixo rendimento escolar.

“Há de facto um grande empenho dos professores e alunos, mas as condições de trabalho não permitem fazer muito mais”, lamentou.

Raimundo Camosi, também professor, que atende a 6ª classe, disse ser humanamente impossível esperar melhores resultados com a situação prevalecente, frisando que o excesso de alunos em salas de aula na sede comunal compromete os esforços da melhoria do processo de ensino e aprendizagem.

“É cansativo e insuportável um professor transmitir conhecimentos a 120 ou 150 alunos numa única sala”, confessou.

O administrador comunal do Luvaka, Pedro Lukomana, disse que a situação é do conhecimento das autoridades administrativas locais que tudo fazem para reverter o quadro nos próximos tempos.

O gestor queixou-se também da falta de uma escola do Iº ciclo de ensino secundário na localidade, facto que tem obrigado os alunos que terminam o ensino primário a interromperem a sua formação.

Situada a 30 quilómetros a Leste da sede municipal do Cuimba, a comuna de Luvaka tem uma população estimada em cinco mil e 92 habitantes.

Leia também
  • 12/10/2018 10:14:18

    Novo gestor da educação prioriza diálogo permanente com o SINPROF

    Ndalatando - O reforço da parceria, aproximação e maior diálogo com o Sindicato dos Professores (SINPROF) para a adopção de acordos consensuais e políticas consertadas para a melhoria do sector de ensino constitui a prioridade do novo director interino do Gabinete Provincial da Educação no Cuanza Norte, Manuel Lourenço, empossado quinta-feira última.

  • 11/10/2018 12:10:47

    Sinprof descarta possibilidade de greve

    Luanda - O presidente do Sindicato Nacional dos Professores, Guilherme Silva, afastou hoje, quinta-feira, qualquer possibilidade da classe decretar uma greve, embora reconheça existir incumprimentos por parte do Ministério da Educação em relação a publicação do Estatuto da Carreira Docente.

  • 11/10/2018 06:01:26

    Escola Primária no Luena recebe material didáctico

    Luena - Um donativo composto por 80 carteiras, quadros, mesas e cadeiras para os professores, do Banco de Fomento de Angola (BFA), foi na quarta - feira, no Luena, província do Moxico, entregue à escola primária nº 143 das irmãs "Tresianas", afectas à Igreja católica.