Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

06 Maio de 2019 | 17h44 - Actualizado em 06 Maio de 2019 | 17h44

Cabinda com madeira suficiente para fabricar carteiras

Cabinda - A província de Cabinda possui quantidade de madeira suficiente para abastecer a indústria do fabrico de carteiras no sentido de apetrechar as escolas da circunscrição disse hoje, segunda-feira, o governador local, Eugénio Laborinho.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Eugénio Laborinho - governador provincial de cabinda

Foto: Angop

Eugénio Laborinho fez estas declarações quando discursava na cerimónia da abertura da III fase da formação contínua de professores, no âmbito do Projecto de Aprendizagem para Todos (PAT), que vai decorrer durante duas semanas no país.

Ressaltou que a província de Cabinda é rica em madeira e esse recurso natural deve-se reverter no fabrico de carteiras para melhorar a qualidade de ensino na região.

Fez saber que a sector da Educação da província de Cabinda regista um défice de 28 mil carteiras, que pode-se reduzir com o fabrico desse material a nível da região.

Informou que o sector da Educação está realizar trabalhos de reabilitação das escolas em povoações, comunas e sedes municipais, para inserir o maior número de crianças e jovens no sistema de ensino.

Por seu turno, o secretário provincial da Educação de Cabinda, Jorge Congo, apelou aos professores no sentido de aproveitarem ao máximo os conhecimentos a serem transmitidos no curso para serem professores mais capazes e profissionais.

Exigiu aos docentes que participam da formação empenho, pontualidade e determinação para absorverem o máximo de conhecimentos.

Na província de Cabinda existem 286 escolas públicas e 53 privadas, onde trabalham quatro mil e 723 professores.

Assuntos Província » Cabinda  

Leia também