Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

24 Setembro de 2020 | 16h48 - Actualizado em 24 Setembro de 2020 | 16h48

Escolas do II ciclo cobram taxas e emolumentos

Luanda - O Governo angolano autorizou a cobrança de taxas e emolumentos nas escolas públicas do ensino secundário, para garantir a sua autossustentabilidade.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

escolas do ii ciclo passam a cobrar emolumentos

Foto: Rosário dos Santos

O valor destes serviços ainda está por definir, conforme o Despacho Presidencial 129/20, a que a ANGOP teve acesso, esta quinta-feira.

De acordo com este instrumento jurídico, a nova medida justifica-se com o facto de "as receitas escolares constituírem uma importante fatia alternativa de financiamento das instituições públicas de ensino secundário".

O Governo entende que a cobrança de taxas e emolumentos permitirá aumentar os recursos financeiros necessários para o funcionamento das escolas deste subsistema de ensino.

De acordo com o Despacho Presidencial, que não precisa a data de efectivação dos serviços, a cobrança deve ser assegurada pelos ministérios da Educação e das Finanças.

Cabe aos dois departamentos ministeriais a  competência de aprovar e definir estes valores.

A propósito, fonte do Ministério da Educação, que pediu o anonimato, avançou à ANGOP que estão a ser analisadas as propostas com o Ministério das Finanças, para se determinar os valores das taxas e emolumentos a cobrar pelos serviços prestados pelas instituições do ensino secundários.

Em setembro de 2019, as autoridades angolanas decidiram proibir a cobrança de quaisquer emolumentos em instituições públicas de ensino em Angola, justificando a "inexistência" de um diploma legal para o efeito e que as anteriores cobranças feitas eram "arbitrárias".

Assuntos Angola  

Leia também
  • 21/09/2020 20:56:13

    Covid-19: Escolas do II ciclo do Cunene com material de biossegurança

    Ondjiva - Setenta e seis escolas do I e II ciclo do ensino secundário da província do Cunene garantem condições de biossegurança para o retorno das aulas em Outubro deste ano, suspensas em Março deste ano, devido o surgimento da Covid-19.

  • 16/09/2020 22:44:00

    Angola: Professores devem ser avaliados anualmente - Docente universitário

    Luanda - O presidente da Academia Angolana de Letras (AAL), sociólogo Paulo de Carvalho, defende, ao abordar os problemas que o ensino atravessa em Angola, que os próprios professores deveriam ser avaliados anualmente.

  • 16/09/2020 22:39:08

    Angola: Académico defende português angolano

    Luanda - O presidente da Academia Angolana de Letras, Paulo de Carvalho, defende, em entrevista à ANGOP, que académicos e linguistas trabalhem para a adopção oficial de uma variante da língua portuguesa, em Angola, com base em regras devidamente definidas.