Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

13 Janeiro de 2018 | 06h10 - Actualizado em 15 Janeiro de 2018 | 10h02

China critica seus gigantes digitais por práticas 'inadequadas'

Pequim - A China anunciou sexta-feira ter repreendido três empresas tecnológicas nacionais por suas práticas inadequadas de recolha de dados de usuários, após uma polémica sobre a protecção de informações pessoais.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira da China

Foto: Google divulgação

As companhias são a gigante digital Baidu, a plataforma de pagamentos electrónicos Ant Financial - ligada ao número um nacional do "e-commerce", Alibaba -, bem como o famoso aplicativo Jinri Toutiao, de reúne notícias.

"Essas três empresas usam regras inadequadas para a recolha e uso de dados pessoais de seus usuários e têm uma comunicação insuficiente sobre esse assunto", informou o Ministério chinês de Indústria e Tecnologias da Informação (MIIT) em nota.

Essa é uma advertência rara por parte do regime comunista, que também exerce uma vigilância rigorosa dos conteúdos digitais e dispõe de gigantescas bases de dados com fins de segurança.

Aos três grupos tecnológicos em questão, cujos directores foram convocados ao Ministério, "ordenou imediatamente rectificar suas práticas" e que informem completamente os seus usuários sobre os dados extraídos, diz a declaração.

Nenhuma penalidade foi citada, mas as empresas, de acordo com o MIIT, garantiram que vão fazer investigações internas para "corrigir" esses problemas.

Essa convocação aconteceu pouco depois de uma polémica no começo de Janeiro em torno do Alipay, a primeira plataforma chinesa de pagamento electrónico, com 520 milhões de usuários.

Vários usuários se deram conta que a plataforma tinha lhes registado, sem avisar, em um serviço de classificação financeira. O dispositivo, criticado por invadir a vida privada das pessoas, foi muito denunciado por internautas chineses.

Assuntos Economia  

Leia também
  • 12/11/2018 10:55:11

    ASEAN assina acordo para facilitar comércio electrónico

    Singapura - Os ministros das Finanças dos Estados-membros da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) assinaram hoje, em Singapura, um acordo que visa facilitar as transacções de comércio electrónico na região.

  • 08/11/2018 11:59:29

    Bruxelas projecta forte alta do déficit da Itália

    Bruxelas - O déficit público italiano deve aumentar consideravelmente nos próximos dois anos, se Roma aplicar as medidas previstas em seu orçamento para 2019, rejeitado por Bruxelas - estimou a Comissão Europeia nesta quinta-feira (8).

  • 01/11/2018 19:31:09

    FMI pede a Bolsonaro "ambiciosa reforma tributária"

    Washington - O Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou nesta quinta-feira que as propostas económicas do presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, vão na direcção "adequada", mas ressaltou que é fundamental realizar "uma ambiciosa reforma tributária", liderada pela previdência.

  • 01/11/2018 12:57:30

    Empresa farmacêutica Novo Nordisk demite mais de mil funcionários

    Copenhaga - A empresa farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk, líder mundial da insulina, anunciou hoje, quinta-feira, a demissão de mil e 300 pessoas como parte de um plano de reestruturação das suas actividades de pesquisa e desenvolvimento, noticiou a Efe.