Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

13 Junho de 2018 | 08h37 - Actualizado em 13 Junho de 2018 | 10h51

EUA: Trump afirma que mundo está longe de uma "catástrofe nuclear"

Washington - O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu hoje que o mundo está mais longe de uma "catástrofe nuclear", após uma reunião sem precedentes com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, em Singapura.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Donald Trump, Presidente dos EUA (Foto arquivo)

Foto: WIN MCNAMEE

"O mundo deu um grande passo atrás numa possível catástrofe nuclear! Não há mais lançamentos de foguetões, testes nucleares ou pesquisas!", escreveu Trump na rede social Twitter, aproveitando a longa viagem de regresso de Singapura para Washington.

Noutra mensagem, Trump congratulou Kim Jong-un por "dar um passo firme em direcção a um novo futuro brilhante para o seu povo" com a reunião de Singapura, que "mostra que a verdadeira mudança é possível!".

"Não há limite para o que a Coreia do Norte pode alcançar quando renunciar às armas nucleares, adoptar o comércio e participar no mundo", disse Trump.

"O Presidente Kim", acrescentou, "tem diante de si a oportunidade de ser lembrado como um líder que marcou o início de uma era gloriosa de segurança e prosperidade para o seu povo".

Trump e Kim Jong-un realizaram na terça-feira a primeira cimeira da história entre os líderes dos dois países, durante a qual se comprometeram a "construir um regime de paz duradouro e estável na península coreana".

Um simbólico aperto de mão deu início ao primeiro encontro entre os líderes dos dois países depois de quase 70 anos de confrontos políticos no seguimento da Guerra da Coreia (1950-53) e de 25 anos de tensão sobre o programa nuclear de Pyongyang.

Assuntos Conflito  

Leia também