Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

12 Julho de 2018 | 17h56 - Actualizado em 12 Julho de 2018 | 17h56

Putin prolonga até 2019 embargo a produtos alimentícios ocidentais

Moscovo - O presidente russo, Vladimir Putin, prolongou hoje até 2019 o embargo a produtos alimentícios dos países ocidentais, em vigor desde 2014, em represália pelas sanções decretadas por Estados Unidos e União Europeia (UE) contra a Rússia pela anexação da Crimeia.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Vladimir Putin - Presidente da Rússia

Foto: ALEXEY DRUZHININ

O decreto, assinado nesta quinta-feira, prolonga "até 31 de Dzembro de 2019" as restrições à importação de produtos alimentícios, principalmente provenientes da UE.

Adoptado pela primeira vez em Agosto de 2014, o embargo foi prolongado em três ocasiões, em resposta à renovação das sanções económicas europeias.

Em Junho, os 28 dirigentes da UE decidiram prolongar oficialmente por seis meses as sanções económicas contra a Rússia, devido à falta de avanços na implementação dos acordos de Minsk para permitir uma trégua e um diálogo político entre os rebeldes pró-russos do leste da Ucrânia e o governo ucraniano.

As sanções ocidentais decretadas contra Moscovo mergulharam a Rússia na sua mais grave recessão desde a chegada de Putin ao poder, em 2000. O país recupera progressivamente.

A longo prazo, as autoridades russas esperam que o embargo favoreça o desenvolvimento do sector agrícola nacional, ao qual oferece subsídios importantes.

Assuntos Economia  

Leia também
  • 08/11/2018 11:59:29

    Bruxelas projecta forte alta do déficit da Itália

    Bruxelas - O déficit público italiano deve aumentar consideravelmente nos próximos dois anos, se Roma aplicar as medidas previstas em seu orçamento para 2019, rejeitado por Bruxelas - estimou a Comissão Europeia nesta quinta-feira (8).

  • 01/11/2018 19:31:09

    FMI pede a Bolsonaro "ambiciosa reforma tributária"

    Washington - O Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou nesta quinta-feira que as propostas económicas do presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, vão na direcção "adequada", mas ressaltou que é fundamental realizar "uma ambiciosa reforma tributária", liderada pela previdência.

  • 01/11/2018 12:57:30

    Empresa farmacêutica Novo Nordisk demite mais de mil funcionários

    Copenhaga - A empresa farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk, líder mundial da insulina, anunciou hoje, quinta-feira, a demissão de mil e 300 pessoas como parte de um plano de reestruturação das suas actividades de pesquisa e desenvolvimento, noticiou a Efe.

  • 30/10/2018 16:53:18

    Crescimento da Eurozona desacelera no 3º trimestre a 0,2%

    Bruxelas - O crescimento da zona do euro registou, no terceiro trimestre de 2018, desaceleração a 0,2%, dois décimos abaixo do resultado registado entre Abril e Junho, anunciou a Agência Eurostat.