Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

12 Agosto de 2017 | 09h44 - Actualizado em 12 Agosto de 2017 | 11h59

Lunda Norte cresce com novas infra-estruturas

Dundo - A província da Lunda Norte regista nos últimos 15 anos um crescimento considerável, com a construção de várias infra-estruturas, habitacionais, rodoviárias, escolares e sanitárias.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Centralidade do Dundo, Lunda Norte

Foto: Sónia Ferry

A centralidade do Dundo, no distrito do Mussungue, é um dos maiores ganhos para população e para província, fundada há 39 anos.

Com capacidade para albergar 30 mil e 24 moradores, dos quais mais de 15 mil já vivem nos seus apartamentos, concretizando o sonho da casa própria, a centralidade do Dundo conta com cinco mil e quatro apartamentos de várias tipologias (T3 até T5+1), distribuídos em 95 prédios de cinco andares, quatro de 18 andares, 86 de cinco e seis prédios de nove andares.

A construção de 200 fogos habitacionais em cada um dos municípios deu outra imagem aos municípios da província e melhorou a condição de vida dos seus habitantes.

A malha rodoviária possui mais de mil quilómetros asfaltados, assim como estão reabilitadas as três estradas nacionais que cruzam a cidade do Dundo, nomeadamente, (EN 180 Dundo/Saurimo), (EN 180A Dundo/vila mineira do Nzagi), e a construção da EN 225 (Dundo/Xá Muteba) com mais de quinhentos quilómetros.

Educação

O sector da Educação também cresceu com a construção de 72 escolas e a criação, em todos os municípios, de escolas do II ciclo, o que levou as autoridades a declarar não a existência de crianças fora do sistema de ensino.

A criação da Universidade Lueji A Nkonde foi outro ganho registado no sector da educação desde a independência nacional.

Saúde

A construção do centro de diagnóstico e do hospital materno infantil, com capacidade de 100 camas, cuja inauguração está para breve, bem como a construção de 44 infra-estruturas sanitárias, em todos os municípios, foram as realizações de realce  no sector da saúde, nos últimos 15 anos.

Energia e Águas

No sector da Energia, foi construída uma central térmica com capacidade para produzir 32 megawatts, enquanto decorrem as obras de modernização e ampliação da antiga barragem Hidroeléctrica do Luachimo.

As obras da barragem de Luachimo deverão estar concluídas em 2019 e vão elevar a capacidade de produção de 8 para 34 megawatts e fornecer energia aos municípios do Tchitato, Cambulo, Lôvua e Lucapa.

O programa Água para todos, lançado pelo Executivo, permitiu já levar água potável a  cerca de 70 porcento a população da província, incluindo zonas rurais.

Agricultura

No projecto agro-pecuário da Cacanda, em funcionamento desde 2012, mantém-se os esforços para alcançar uma produção de cinco mil ovos dia, bem como de ração animal.

A província conta com seis mil e 421 bovinos, cinco mil 670 suínos, cinco mil 177 ovinos, seis mil 582 caprinos e mais de 40 mil aves. São igualmente controladas 510 associações, 17 empresas agrícolas e 38 cooperativas de camponeses e 35 piscicultores.

Com alto teor energético, a mandioca é base de alimentação da população local e, por isso, se destaca na produção na região.

Sector Mineiro

Pioneira na actividade de exploração de diamantes, por intermédio da Empresa Nacional de Diamantes (Endiama), na Lunda Norte despontam os projectos Chitotolo, Luô e o Cuango, a par de iniciativas que incluam a produção artesanal e semi-industrial, legalizadas, com vista a combater a fome e pobreza nas comunidades.

Turismo

O turismo ganhou igualmente impulso com o surgimento do hotel Diamante, na cidade do Dundo, assim como diversas hospedarias, pensões e similares, bem como, a reabertura do museu do Dundo e do aeroporto do Kamaquenzo.

Caracterização da Província

A província da Lunda Norte foi criada a 4 de Julho de 1978, por razões estratégicas de natureza económica ligadas à protecção da produção de diamantes.

Situada no extremo nordeste de Angola partilha 770 quilómetros de fronteira com a República Democrática do Congo.

Com uma área de 103 mil 760 quilómetros quadrados, a Lunda Norte conta com uma população de 862 mil 566 habitantes, de acordo os dados do Recenseamento Geral da População realizado em 2014 pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

Leia também