Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

17 Agosto de 2019 | 03h05 - Actualizado em 16 Agosto de 2019 | 20h43

Presidente da SADC aponta avanços políticos

Luanda - O presidente em exercício da SADC, o Chefe de Estado da Namíbia, Hage Geingob, declarou, neste sábado, que uma das realizações mais assinaláveis dos 27 anos de existência do bloco económico regional foi a consolidação da democracia nos Estados membros.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeiras de países membros da SADC (arq)

Foto: Henri Celso

Numa mensagem a propósito do Dia da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), assinalado neste sábado (17 de Agosto), afirmou que a região continua a consolidar os princípios democráticos, para assegurar uma governação efectiva.

"Devemos orgulhar-nos da nossa organização, SADC, porque estamos constantemente a progredir no sentido da integração regional e desenvolvimento sustentável, com o objectivo de eliminar a pobreza e garantir melhores condições para os cidadãos da SADC", escreveu.

Observou que esses feitos estão a ser concretizados através da harmonização de políticas e estratégias destinada a colocar, na prática, o desenvolvimento sustentável centrado na pessoa humana.

Segundo o presidente em exercício, a SADC transformou-se numa organização regional importante e eficaz, contribuindo de forma positiva e significativa para o desenvolvimento e integração económica da região, assegurando, ao mesmo tempo, a paz e a segurança.

Referiu que a arquitectura de governação na região continua a fortalecer e por imperativo felicitou o povo e o Governo da República Democrática do Congo (RDC), pela realização de eleições pacíficas e pela manutenção da paz no período pós-eleitoral.

"Posso confirmar que não foi fácil garantir que as eleições na RDC finalmente tivessem lugar e decorressem num clima de paz. Mas graças à nossa unidade de objectivos e compromisso com a harmonia regional, nós prevalecemos", expressou.  

Felicitou o povo e o Governo da União das Comores, do Reino de Eswatini, do Madagáscar, Malawi e da África do Sul por realizarem eleições credíveis e pacíficas. 

Disse não ter dúvidas de que as próximas eleições nas repúblicas do Botswana, de Moçambique, da Namíbia e das Maurícias sejam livres e justas e decorram num ambiente pacífico.  

"A região continuará a realizar eleições de acordo com o principal objectivo dos Princípios e Directrizes da SADC que Regem a Realização de Eleições Democráticas nos Estados-Membros", enfatizou.

Integração económica  

Declarou, por outro lado, que a SADC está determinada em alcançar a industrialização regional, através da execução efectiva das estratégias emblemáticas, entre as quais o Plano Estratégico Indicativo de Desenvolvimento Regional, o Plano Director Regional de Desenvolvimento de Infra-estruturas e a Estratégia e Roteiro para a sua Industrialização.

Ao referir-se à Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA), lançada a 7 de Julho de 2019, em Niamey, Níger, disse ser um projecto emblemático da Agenda 2063, por meio da qual bens e serviços circularão livremente entre os Estados-Membros da União Africana (UA), com o intuito de impulsionar as trocas comerciais intra-africanas.

Enfatizou que, com a adopção deste mecanismo, sustentado por outros acordos regionais de comércio livre, a Região da SADC perspectiva agregar imensos benefícios que concorrerão para o seu crescimento e desenvolvimento económicos.

Noutro domínio, o presidente em exercício disse ser essencial reconhecer o papel que as mulheres continuam a desempenhar na prossecução dos objectivos da SADC e da agenda de integração regional.

Afirmou que a representação das mulheres na região registou melhorias, assegurando que a igualdade de género, através da proporção de 50/50, é alcançada em todos os Estados-Membros da SADC.

Quanto às calamidades naturais, lembrou que, embora os estados membros redobrem os esforços para garantir o desenvolvimento, são confrontados por calamidades naturais causadas por condições climáticas imprevisíveis, como ciclones e secas severas.

Em relação aos ciclones, recordou que três dos Estados-Membros, nomeadamente Malawi, Moçambique e Zimbabwe, ficaram gravemente afectados e devastados, em Abril último, pelo Ciclone Tropical Idai que fez vários mortos e danos materiais graves.

A SADC, sucessora da SADCC, foi constituída em 1992, para promover a cooperação e integração socioeconómicas, e intensificar a cooperação nas áreas política e de segurança entre os Estados.


 

Assuntos SADC  

Leia também
  • 27/03/2019 20:00:04

    Vice-presidente da República já no país

    Luanda - O Vice-presidente da República, Bornito de Sousa, regressou na noite desta quarta-feira a Luanda, proveniente de Pretória (Áfricado Sul), onde participou na cimeira extraordinária da SADC, em solidariedade à República Árabe Saharaui Democrática (RASD).

  • 26/03/2019 18:11:34

    Angola reafirma engajamento no Sahara Ocidental

    Pretória (Dos enviados especiais) - O vice-presidente da República, Bornito de Sousa, reafirmou o engajamento de Angola no apoio às iniciativas diplomáticas, para superar o impasse no diferendo do Sahara Ocidental.

  • 26/03/2019 14:53:45

    SADC ressalta solidariedade de Angola para libertação da região

    Pretória (Dos enviados especiais) - O Presidente em exercício da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), Hage Geingob, ressaltou, esta terça-feira, em Pretória (África do Sul), a importância histórica da solidariedade de Angola para libertação da região.