Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

19 Agosto de 2019 | 16h46 - Actualizado em 20 Agosto de 2019 | 12h06

Ministro reafirma apoio aos refugiados da RDC

Dundo - O ministro da Defesa Nacional, Salviano Cerqueira, declarou, nesta segunda-feira, que é inadiável a ajuda aos refugiados da República Democrática do Congo (RDC) instalados no Centro de Acolhimento do Lóvua, província da Lunda Norte.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Salviano Sequeira kianda, Ministro da Defesa

Foto: Assis Kituta

Em declarações à imprensa, no final de uma visita de constatação das condições básicas do centro, reafirmou o empenho das autoridades angolanas para facilitar o regresso voluntário à RDC, de 18 mil 871 refugiados, de um total de 22 mil 684 alojados.

Fez saber que vai solicitar ao Presidente da República, através do ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança, o apoio necessário para que se evacuem os refugiados até à fronteira.

Desde domingo último, centenas de refugiados, entre crianças, mulheres e idosos, abandonaram o centro de acolhimento, criado em Maio de 2017.

Alguns fixaram-se ao longo da estrada principal e outros caminharam cerca de 20 quilómetros a pé, até a sede municipal do Lóvua, à espera de transporte.

Com esse acto, o campo de concentração ficou parcialmente desabitado.

A decisão dos congoleses contraria a recomendação da Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), que perspectiva o seu repatriamento a partir de Setembro próximo.

Entretanto, os refugiados lamentam as condições sociais básicas, dizem-se agastados com a decisão do ACNUR e decidem caminhar para as regiões congolesas de Kassai e Kassai Central, através das fronteiras do Tchissanda, Tchikolondo e Marco 25.

"Na minha opinião, do que constatamos, não é possível parar a vontade dos refugiados, que continuam a marcha em direcção à fronteira", enfatizou o ministro da Defesa.

O governante chefiou uma comitiva integrada pela ministra da Acção Social e Promoção da Mulher, Faustina Fernandes Alves, pelo secretário de Estado do Interior, Mbamukina Zau, e por altas patentes das Forças Armadas e da Polícia Nacional.

Leia também
  • 19/08/2019 20:37:59

    Governo apela ao bom senso do ACNUR

    Dundo - O governo angolano apelou ao bom senso por parte do Alto Comissariado das Nações Unidas (ACNUR) no apoio ao processo de repatriamento dos refugiados da República Democrática do Congo (RDC), sem a imposição de regras, por se tratar de um assunto de emergência e humanitário.

  • 19/08/2019 18:33:47

    Governo oferece meios para repatriar refugiados

    Dundo - O Governo angolano disponibilizou, nesta segunda-feira, três camiões para o transporte dos 18 mil e 800 refugiados da República Democrática do Congo (RDC), que decidiram abandonar, unilateralmente, o Centro de Acolhimento do Lóvua, província da Lunda Norte.

  • 19/08/2019 11:29:45

    Delegação ministerial avalia situação no Lóvua

    Dundo - Uma delegação ministerial, integrada pelos ministros da Defesa, Salviano de Jesus Sequeira, e da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Fernandes Alves, chegou nesta segunda-feira à província da Lunda Norte, para inteirar-se da situação dos refugiados da República Democrática Congo, assentados no campo do Lóvua.