Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

09 Setembro de 2019 | 18h13 - Actualizado em 10 Setembro de 2019 | 16h57

UNITA vê oportunidade nas VIII jornadas parlamentares

Lubango - O presidente do grupo parlamentar da UNITA, Adalberto Costa Júnior, vê na realização das VIII jornadas parlamentares nas províncias da Huíla e do Cunene uma oportunidade para os deputados inteirarem-se da seca que afecta mais de 880 mil e 172 pessoas.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Presidente do grupo parlamentar da UNITA, Adalberto Costa Júnior (Arquivo)

Foto: Joaquina Bento

“A problemática da seca no sul de Angola constitui uma matéria actual e um desafio para o país”, afirmou, nesta segunda-feira, Adalberto Costa Júnior, à saída de um encontro de cortesia com a vice-governadora da Huíla, Maria João Chipalavela.

O político considerou fundamental que os deputados tenham um contacto directo e dialoguem com a população afectada.

A vice-governadora Maria João Chipalavela, que atente aos sectores político, económico e social, manifestou a disponibilidade institucional do governo provincial da Huíla em apoiar a realização das VIII jornadas parlamentares daquele partido.

Concordou com a necessidade de se encontrar soluções para minimizar a situação da seca, que é cíclica na região.

Samakuva fala de autarquias e da seca

Os problemas locais da fome e da seca só vão ser resolvidos com a autonomia local das populações, por via da implementação das autarquias locais, defendeu o presidente da UNITA, Isaías Samakuva.

Durante abertura das VIII Jornadas Parlamentares do seu partido, afirmou que as pessoas devem ter autonomia para receber do Estado os recursos necessários e escolherem por si próprias.

Disse que é com base na autonomia local que se devem institucionalizar as autarquias locais em todos os municípios do país.

Referiu que a administração autárquica da região sul de Angola pode facilitar as relações entre os empresários e as cooperativas locais, com os mercados dos países que fazem fronteira a sul de Angola.

Isso vai beneficiar especificamente as comunidades das províncias da região, ficando mais barato, do que importar tecnológica de países europeus ou asiáticos.

Salientou que o desemprego cresce diariamente e as autarquias têm o potencial de empregar perto de seis mil cidadãos em todos os municípios, sendo 4.800 deputados às Assembleias Municipais, 1175 a secretários das Câmaras Municipais e 164 presidentes das Câmaras Municipais.

O grupo parlamentar da UNITA, maior partido da oposição em Angola, realiza de 09 a 14 deste mês as suas VIII jornadas parlamentares nas províncias da Huíla e do Cunene, sul do país.

As jornadas realizam-se sob o lema “Por uma cidadania participativa e governação transparente para desenvolver as comunidades”.

Durante as jornadas, os deputados vão abordar temas como "O poder local como factor de inclusão social e desenvolvimento das comunidades", "Pequenas iniciativas locais para mitigar os efeitos da seca e fome no sul de Angola", "O desenvolvimento económico no sul de Angola" e "Transparência e combate à corrupção".

Leia também