Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Reconstrução Nacional

03 Outubro de 2018 | 18h08 - Actualizado em 03 Outubro de 2018 | 18h08

Governador defende operacionalização dos equipamentos do INEA

Ondjiva - O governador da provincial do Cunene, Virgílio da Ressurreição Tyova, advogou nesta terça-feira, em Ondjiva, a necessidade da operacionalidade dos equipamentos e meios técnicos postos à disposição do Instituto de Estradas de Angola (INEA), visando contribuir na manutenção da rede viária.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Cunene: Parte dos Equipamentos do INEA paralisados

Foto: José Cachiva

Cunene: visita do governador ao INEA

Foto: José Cachiva

Trata-se de um lote de equipamentos constituído por cilindros, máquinas escavadora, britadeiras, motoniveladora, carros basculantes, entre outros meios que encontram-se paralisados há mais de dois anos.

Ao debruçar-se durante uma visita efectuada nesta terça-feira as instalações do INEA na província, o governador falou da necessidade da instituição, juntamente com o governo traçar mecanismos para operacionalização dos equipamentos que encontram-se paralisados mediante a concessão de contratos.

Virgílio Tyova ressaltou que a província enfrenta problemas de estradas e saneamento básico, e os meios paralisados na unidade deviam dar suporte e apoiar as administrações municipais e comunais na manutenção das vias.

Entretanto, o governante observou, com preocupação, as máquinas pesadas, algumas novas e outras usadas, perfiladas à volta do quintal, realçando que a paralisação dos equipamentos pode levar a deterioração dos mesmos.

Abordado nesta quarta-feira o director interino do INEA, Luís Paulo, justificou que a paralisação dos meios rolantes deve-se a falta de concessão de contratos de trabalho, derivado da situação financeira.

O abandono destes meios ocorre numa altura em que algumas vias secundárias e terciárias da província, incluindo certas vias urbanas do interior dos bairros da sede capital Ondjiva clamam por celeridade na reabilitação.

Leia também