Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

06 Dezembro de 2018 | 16h58 - Actualizado em 06 Dezembro de 2018 | 16h57

Diagnosticados quatro novos casos de lepra na Funda

Luanda - Quatro novos casos de lepra foram diagnosticados hoje, quinta-feira, na ex- leprosaria da Funda, município de Cacuaco, província de Luanda, aos quais se juntam os 50 pacientes detectados no período de Janeiro a Setembro deste ano.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

bens doados pela igreja Tocoista à ex-leprosaria da Funda

Foto: Lucas Neto

Dom Afonso Nunes saúda doentes da ex- leprosaria da Funda

Foto: Lucas Neto

Esta informação foi prestada à imprensa pelo administrador da ex-leprosaria, Joaquim Santana, quando recebia  3,5 toneladas de bens diversos doados  pela Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (Tocoista). 

De acordo com o responsável, o centro debate-se com diversas dificuldades, como a falta de  alimentos para os pacientes, assim como carece de melhoria do saneamento básico e a falta de  habitações para os doentes.

Frisou que a faltam meios para construção de residências para alojar os 12 adultos e cinco crianças que estão a residir na ex- leprosaria por terem sido rejeitados pelos seus familiares, mesmo após estarem curados da enfermidade de que padeciam.

 Aproveitou a ocasião  para apelar às autoridades da província de Luanda no sentido de prestarem mais apoio para a  construção de residências para os pacientes, pois o local tem espaço suficiente para serem erguidas novas casas.

Entretanto, o bispo da  Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (Tocoista), dom Afonso Nunes,  salientou que a doação é composta por arroz, fuba de milho, massa alimentar, feijão, óleo alimentar,  água mineral, refrigerantes e roupa usada.

Essa acção, ressaltou, foi feita no âmbito das  jornadas comemorativas do centenário do profeta Simão Gonçalves Toco, assinalado a 24 de Fevereiro do ano em curso e que culminam a 16 de Dezembro.  

Aproveitou a oportunidade para confortar os pacientes que sofrem de lepra, assim como para apelar as  outras  instituições para  prestarem apoio a este centro.

Das actividades que encerrarão as jornadas do centenário do profeta Simão Toco, destaca-se a realização de uma conferência que irá abordar diversos aspectos da vida e obra do fundador da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo.

A conferência vai decorrer  de 13 a 15 deste mês, em Luanda, e irá  abordar temas como "O centenário do profeta Simão Toco e o 69º aniversário da  relembrança da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo  no Mundo", "A outra faceta do profeta  Simão Toco como  chefe de família", "O papel da juventude tocoista na evangelização levada a cabo pela Igreja" e "O pensamento social  de Simão Toco no continente  africano".

 Doação de sangue e o culto de  encerramento das jornadas são outras actividades agendadas.

Assuntos Angola   Religião   Saúde  

Leia também
  • 06/12/2018 10:00:53

    Cobertura vacinal do país é de 38 por cento

    Luanda - A cobertura vacinal no país é de 38 por cento, considerada baixa, de acordo com a chefe de departamento da saúde reprodutiva da Direcção Nacional de Saúde Pública do Ministério da Saúde, Henda Vasconcelos.

  • 05/12/2018 19:09:20

    Mulheres querem mais fiscalização aos profissionais de saúde

    Huambo - A criação de um mecanismo para fiscalizar o trabalho dos profissionais de saúde no país poderá melhorar a assistência médica aos utentes, defenderam, hoje, na província do Huambo, as participantes ao encontro das mulheres, organizado pela ong Acção Para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA).

  • 05/12/2018 18:47:11

    Denúncias marcam eleições na Ordem dos Médicos

    Luanda - O Observatório da Sociedade Civil Médica denunciou, nesta quarta-feira, em Luanda, várias irregularidades que diz colocarem em causa a lisura do acto eleitoral da Ordem dos Médicos de Angola (OMA), marcado para Janeiro de 2019.