Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

12 Outubro de 2018 | 12h33 - Actualizado em 12 Outubro de 2018 | 12h33

Informação é a melhor forma de prevenção contra o cancro da mama

Luanda - Sensibilizar a população e disseminar a informação sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama, continua a ser o melhor método para se evitar o surgimento da doença.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A afirmação é do secretário de estado para a saúde pública, José Vieira Dias da Cunha, durante o acto de abertura da feira saúde em alusão ao Outubro Rosa, mês dedicado ao cancro da mama, promovida pela Direcção Nacional de Saúde Pública.

Para o secretário de estado, é importante que os jovens tenham muita atenção aos aspectos da prevenção do cancro da mama, uma doença mais frequente entre as mulheres, podendo afectar também homens.

Segundo José Vieira, a pessoa tem um bom prognóstico se for detectado logo no estádio inicial da doença, e para isso é necessário que as pessoas aprendam a fazer o auto-exame, isso é com o toque de mama após o banho.

De acordo com o responsável, dados publicados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) estimam que existam dois milhões de casos novos no mundo e, 8,8 milhões de pessoas morrem todos os anos em decorrência de algum tipo de cancro e, destas 70 por cento vivem em países de média ou baixa renda. Na região africana o cancro da mama mata cerca de 450 mil pessoas todos os anos.

“Considerando um grande mal na vida das pessoas e com a preocupação de diminuir o impacto negativo causados pela mesma nos seio das famílias, a OMS passou a recomendar a todos os países a necessidade de implementarem programas de prevenção e controlo, baseado na redução da exposição aos factores de risco, rastreio pela mamografia, exames clínicos e auto-exame”, salientou.

Referiu que a implementação dessas medidas tem demonstrado a redução das mortes causadas pelo cancro da mama, entretanto a sua execução requer não só o envolvimento do governo, mais de toda sociedade civil.

Já para a directora nacional da saúde pública, Isilda Neves, este é um mês que todos se dedicam a sensibilização e a maior informação sobre o assunto em questão, sobretudo sobre o diagnóstico e actos preventivos.

Adiantou que inicialmente o controlo do cancro estava confinado ao instituto nacional do controlo do cancro, pois sabemos que esta doença pela magnitude que tem é um problema de saúde pública.

Neste sentido, advogou, a necessidade do país ter um programa de controlo do cancro ligado aos programas de saúde pública, visando a promoção e prevenção desta doença, sobretudo a protecção de orientações técnicas para apoiar as unidades sanitárias.

Outubro Rosa é uma celebração mundial, que resulta de uma recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para os países implementarem políticas de prevenção sobre o cancro da mama considerando a magnitude dos seus efeitos negativos nas sociedades.

Angola, de acordo com os dados disponíveis da OMS, regista cerca de 1.327 casos ano. Deste número de casos, segundo dados do Instituto Angolano de Controlo do Cancro (IACC), revela o cancro da mama como sendo a neoplasia mais frequente naquela unidade sanitária em ambos sexos.

Considerada a neoplasia maligna que mais afecta a mulher em todo mundo, segundo a OMS, são diagnosticados em todo mundo cerca de 1.600.000 novos casos, representando cerca de 25 por cento de todas neoplasias femininas.

Ainda segundo a mesma estatística, estima-se que o cancro da mama causa a morte de aproximadamente 508 mil mulheres.

A data de celebração anual, Outubro Rosa começou nos Estados Unidos da América em 1997, após um movimento interno de consciencialização sobre a doença e foi ganhando corpo pelo mundo.

Assuntos Saúde  

Leia também
  • 08/11/2018 18:03:46

    Sessenta crianças morrem de má nutrição no Cunene

    Ondjiva - Sessenta crianças, de zero aos cinco anos de idade, morreram de má nutrição severa e aguda moderada, de um total de 3.978 casos registados no decurso dos últimos nove meses em diferentes unidades sanitárias da província do Cunene.

  • 08/11/2018 12:30:02

    Médicos militares analisam prevenção de doenças

    Luanda - Médicos militares estão reunidos, desde hoje, quinta-feira, na XI jornadas médicas para analisar como prevenir a proliferação das doenças, sobretudo as mais perigosas do ponto de vista médico-sanitário destacando-se o VIH/Sida, a malária , tuberculose e a hipertensão.

  • 05/11/2018 17:47:56

    Reduzem casos de sida em Muconda

    Saurimo - Oito novos casos de infecção pelo vírus do VIH/Sida foram diagnosticados, de Janeiro até a presente data, do ano em curso, no município do Muconda (Lunda Sul), menos quatro em relação a igual período de 2017.

  • 05/11/2018 12:12:36

    País conta com 33 mil parteiras tradicionais

    Luanda - Trinta e três mil parteiras tradicionais prestam serviços em todo país na realização de partos dentro das comunidades, coadjuvando assim na redução da mortalidade materna e infantil.