Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

29 Setembro de 2019 | 20h54 - Actualizado em 30 Setembro de 2019 | 11h42

Pediatria com 600 crianças com doença do coração em espera

Luanda - Seiscentas crianças com problemas cardíacos estão na lista de espera do Hospital Pediátrico David Bernardino, em Luanda, segundo dados divulgados neste domingo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

De acordo com a cardiologista Ondina Fortunato, que falava à Televisão Pública de Angola (TPA), no âmbito do Dia Mundial do Coração, diariamente a unidade sanitária atende a 20 pacientes, seis dos quais casos novos.

Na referida unidade sanitária, foram operadas, nos últimos meses, mais de mil crianças com problemas cardiovasculares.

Com os mesmos problemas, estão internados no Hospital Josina Machel 32 pacientes, sendo que 90 por cento resultam de situações ligadas a febres reumáticas.

Dados divulgados recentemente pelo presidente da Sociedade Angolana de Doenças Cardiovasculares, Gade Miguel, dão conta que Angola possui apenas 130 cardiologistas nacionais para mais de 25 milhões de habitantes, número que as autoridades consideram insuficiente para responder à demanda.

O rácio actual é de um cardiologista para mais de 200 mil habitantes, num país com 25 milhões 789 mil e 24 cidadãos, segundo dados do Censo Populacional de 2014.

Indica que 20 por cento dos indivíduos adultos em Angola são hipertensos e mais de 50 por cento desconhecem o seu estado de saúde.

A hipertensão arterial é uma doença silenciosa, cujos sintomas, muitas vezes, demoram a aparecer. Por isso, é importante que as pessoas tenham uma rotina de exames para identificar algum distúrbio.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que até 2030 as doenças cardiovasculares serão responsáveis pela morte de pelo menos 23,6 milhões de pessoas no mundo.

Como principais patologias, apontou  as cardiopatias congénitas de vária ordem, válvulo patias reumáticas, com índice de sucesso de 95 por cento e 5 por cento de mortalidade.

Assuntos Angola  

Leia também