Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

14 Junho de 2018 | 15h19 - Actualizado em 14 Junho de 2018 | 15h19

Desestruturação familiar apontada como causa do "fenómeno" meninos de rua

Saurimo - O uso excessivo do consumo de bebidas alcoólicas, drogas, falta de diálogo e a má preparação dos cônjuges para o casamento, foi apontado hoje, quinta-feira, em Saurimo (Lunda Sul), como sendo as principais causas da desestruturação familiar e consequentemente a permanência de meninos na rua.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A consideração foi avançada à Angop, pela directora provincial da Família e Promoção da Mulher, Elizabeth Chiuissa, a propósito do assunto, tendo referido que muitas famílias ainda refugiam-se em agressões físicas e devido a pobreza que os assola, tem originado a fuga de muitas crianças nos lares.

Segundo a responsável, para contrapor a situação, urge a necessidade de haver sinergias de toda a sociedade, bem como o reforço ao diálogo entre as famílias e a responsabilização dos indivíduos que desrespeitam a harmonia, paz e tranquilidade do lar.

“Os pais devem ser modelos em todas as acções, para que os petizes tenham uma óptima aprendizagem, beberem de bons valores éticos e morais, evitando deste modo a fuga massiva nas ruas”, advertiu.

Elizabeth Chiuissa explicou que a direcção que dirige vai neste ano promover palestras nas escolas, igrejas e nos locais de maior concentração da população, com vista a alertar a comunidade, sobre os cuidados que devem ter com a protecção das crianças e divulgar com rigor os seus direitos e deveres.

A nível da província da Lunda Sul a Direcção provincial da Família e Promoção da Mulher (Difamu) controla 100 crianças na rua e muitas delas através de acções levadas a cabo pelas autoridades regressam às residências dos seus encarregados.

Leia também
  • 11/11/2018 08:28:25

    Metade das residências do Quilomoço entregue aos respectivos moradores

    Uíge - Quinhentas e cinco residências da centralidade Horizonte do Quilomoço, na cidade do Uíge, foram entregues aos moradores, desde o passado mês de Agosto, data de início do processo de comercialização.

  • 11/11/2018 07:53:15

    Ex-Leprosaria da Funda regista 50 novos casos em nove meses

    Luanda - A ex-Leprosaria da comuna da Funda, município de Cacuaco, diagnosticou, de Janeiro a Setembro de 2018, 50 novos casos de lepra, deu a conhecer hoje, quinta-feira, em Luanda, o administrador do actual Centro de Saúde e Reabilitação da Funda, Joaquim Imperial Santana.

  • 08/11/2018 17:46:00

    Responsável sugere cooperativas numa única entidade

    Ndalatando - A necessidade da criação de uma única entidade que congregue todos os ramos do cooperativismo para melhor organização e defesa dos seus direitos foi defendida, hoje (quinta-feira), em Ndalatando, Cuanza Norte, pela vice-presidente da Federação das Associações de Camponeses e Cooperativas Agropecuárias de Angola (Unaca), Ricardina Machado.

  • 08/11/2018 17:31:48

    APROSOC facilita registo de 400 menores de cinco anos

    Luena - Quatrocentas menores vulneráveis, de cinco anos de idade, da comuna do Lucusse, província do Moxico, beneficiaram, de Julho até a presente data, de registo de nascimento gratuito e vacinas contra o tétano e a pólio, no âmbito do Projecto de Apoio à Protecção Social (APROSOC).