Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

10 Julho de 2018 | 16h59 - Actualizado em 10 Julho de 2018 | 17h24

Cunene caminha para o desenvolvimento

Ondjiva - Já lá vão 48 anos, desde que o Cunene foi elevado à categoria de província. O antigo distrito da Huíla, da então província ultramarina de Angola, está em franco desenvolvimento, depois da guerra civil, com sinais animadores nos domínios da saúde, habitação e educação.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Cunene: Artérias da cidade de Ondjiva

Foto: José Cachiva

Cunene: Panorâmica da Cidade de Ondjiva

Foto: José Cachiva

(Amilton Ilídio Mateus)  

Com o advento da paz definitiva, em 2002, Cunene conhece avanços significativos em diferentes sectores, propiciando aos habitantes dos seus seis municípios (Cahama, Cuanhama, Curoca, Cuvelai, Ombadja e Namacunde) melhores oportunidades de vida.

A província, que celebra hoje (10 de Julho) os seus 48 anos, com o início da Expo-Cunene 2018, onde deverão participar vários empresários nacionais e estrangeiros, registou sinais evidentes de crescimento na área da educação, nos últimos cinco anos.

Dados oficiais apontam que, actualmente, a taxa de crescimento da rede escolar é notável.

A província conta com 838 escolas, entre as quais 768 do ensino primário, 56 do primeiro ciclo e 13 do segundo ciclo, sendo duas de formação técnico-profissional e três de formação de professores, asseguradas por cinco mil e 93 professores.  

Ainda assim, as autoridades locais reconhecem haver um défice de mil e 500 professores e do número de salas de aula.

No presente ano lectivo, a província conta com um universo de 243.353 alunos matriculados, contra os 186 mil e 649 de 2012.

Só nos últimos cinco anos, 55 mil e 427 novos alunos foram inseridos nos vários subsistemas de ensino, nos seis municípios do Cunene.

Ao contrário dos tempos de guerra, Cunene ganhou, nos últimos anos, duas unidades de ensino superior, que ministram os cursos de agronomia, enfermagem, análises clínicas e laboratório, engenharia hidráulica, biologia e informática. Até 2002, não haviam escolas de ensino superior.

Segundo as autoridades locais, a cifra de crianças fora do sistema de ensino, nesse ano lectivo (2018), é superior a 30 mil crianças, daí estarem em curso medidas para mitigar o problema.

Para tal, as autoridades propõe como desafios para o período 2018-2022 o fomento da educação pré-escolar, do ensino primário, secundário, técnico-profissional, formação de professores e a intensificação de acções de alfabetização.

Mas o crescimento não se limita à educação. No domínio da saúde também há ganhos. A província dispõe de uma rede sanitária composta por 146 unidades sanitárias, entre as quais 41 centros saúde, sete hospitais e 98 postos de saúde.

É com elas que tem melhorado o acesso da população aos serviços primários de saúde, depois de largas décadas. Até 2002, a província dispunha apenas de centros de saúde. Os hospitais de referência haviam sido destruídos pela guerra.

Outro sector em franco progresso é o da construção civil. Se há algumas décadas circular por estrada era um "bico-de-obra", no Cunene, o mesmo não se pode dizer hoje.  

Para melhorar a circulação por terra, foi reabilitado o troço Ondjiva-Humbe, na Estrada Nacional 105. Com essa reabilitação total, mantiveram-se os 108 quilómetros de extensão.

A plataforma, de 8 metros de largura inicial, passou para 12 metros, enquanto os 6 metros da faixa de rodagem subiram para 7,9.

Foi também reabilitada e asfaltada a via que liga a sede da província aos municípios de Namacunde, Cuanhama, Ombadja, Cahama e Cuvelai.

Em fase de execução encontram-se os troços Cahama-Curoca e Ondjiva/Omala, com 80 quilómetros, ligando o município de Cuanhama ao de Cuvelai.

Destaca-se, igualmente, a reabilitação das ruas de Ondjiva, melhoramento dos passeios e lancis, recuperação do sistema de drenagem, entre outras obras, que dão nova imagem à cidade.

A província do Cunene possui uma rede fundamental de estradas de mil e 373 quilómetros, das quais estão concluídas e parcialmente asfaltadas 290 quilómetros.

No sector das águas, as melhorias também são significativas.

A cidade de Ondjiva (municípios de Namacunde e Ombadja) é abastecida pela conduta de água Xangongo/Ondjiva, numa extensão de 105 quilómetros. Isso permitiu seis mil e 941 ligações domiciliárias, que beneficiam 48 mil e 587 habitantes nessas áreas.

Além da conduta de água, há 112 chafarizes localizados ao longo das condutas adutoras, que beneficiam 28 mil habitantes no meio urbano e peri-urbano, além de bebedouros para o gado.

Quanto ao sector energético, a província dispõe, actualmente, de uma rede de distribuição de energia eléctrica abastecida por diversas fontes de produção de energia, que perfazem um total de 22,8 MW de potência instalada, contra os 6 MW existentes até 2012.

Cunene, com uma superfície de 77,213 quilómetros quadrados, está dividida em seis municípios e 20 comunas. Tem como sede capital a cidade de Ondjiva e conta com uma população de 965 mil e 288 pessoas, das quais 79,1 porcento residem no meio rural e 20,9 na zona urbana.  

Leia também
  • 10/07/2018 17:04:28

    Comemora-se quarta-feira o Dia Mundial da População

    Luanda - Comemora-se quarta-feira, 11 de Julho, O Dia Mundial da População, instituído em 1989 pelo Conselho de Governadores do Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas.

  • 10/07/2018 16:49:37

    INEMA regista 24 ocorrências nas festas de Mbanza Kongo

    Mbanza Kongo - Vinte e quatro ocorrências, entre acidentes de viação, trabalho, agressões físicas e ofensas corporais com recurso à arma branca, foram registadas pelo INEMA, na província do Zaire, durante as festas da cidade de Mbanza Kongo.

  • 10/07/2018 13:25:53

    Primeiro aniversário de Mbanza Kongo superou expectativas - governador

    Mbanza Kongo - O primeiro aniversário da cidade de Mbanza Kongo como património mundial celebrado domingo, 8 de Julho, ultrapassou às expectativas, afirmou nesta terça-feira, o governador provincial do Zaire, José Joanes André.