Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

14 Setembro de 2018 | 17h18 - Actualizado em 14 Setembro de 2018 | 17h18

Membros da sociedade civil apontam sectores prioritários para a governação

Huambo - A construção de escolas e centros de saúde, bem como o alargamento da rede de distribuição de água potável e energia eléctrica foram apontadas hoje, sexta-feira, na província do Huambo, como áreas a serem priorizadas pela nova governadora local, Joana Lina.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Joana Lina, Governadora do Huambo

Foto: Francisco Miúdo

A sugestão é dos membros da sociedade civil, em declarações à Angop, em reacção a nomeação da sucessora de João Baptista Kussumua, que governou a província desde Setembro de 2016.

Segundo os mesmos, a nova governadora deverá, também, prestar atenção especial ao melhoramento do saneamento básico e dos espaços verdes, além do melhoramento da assistência médica e medicamentosa.

O 2º secretário da UNITA na província, Américo Carlos Wongo Samoma, disse esperar de Joana Lina uma governação de proximidade, indo ao encontro dos anseios da população.

Considera necessário que a governadora encontre soluções para os problemas do sector da saúde, fundamentalmente a falta de medicamentos e outros materiais gastáveis.

Já o economista Joaquim Chitanda Sukuakueche Moisés, docente da Faculdade de Economia da Universidade José Eduardo dos Santos, disse esperar pela conclusão dos projectos sociais em curso, maior articulação entre o governo e a câmara de comércio indústria e que se dê mais oportunidade ao empresariado local.

No seu entender, é importante que as estratégias do Governo local estejam alinhadas com os objectivos do sector empresarial, além de priorizar questões de impacto direito e imediato na vida do cidadão, com destaque para saúde, educação, assistência social, promoção e fortalecimento da mulher rural, através do incentivo agrícola e combate a alfabetização.

A nova governadora, natural de Kamabatela, na província do Cuanza Norte, exerceu, entre 1991 a 1997, a função de Secretária de Estado e Promoção e Desenvolvimento da Mulher, sendo Ministra da Família e Promoção da Mulher de 1997 a 1998.

Está também envolvida no associativismo desportivo e social, tendo sido dirigente da Federação Angolana de Futebol, do comité olímpico e paralímpico, do comité da mulher rural e já presidiu a mesa da assembleia da associação dos Economistas. Na filantropia, ajudou a fundar o Fundo Social Lwini, onde faz parte do seu conselho de administração.

Leia também
  • 08/11/2018 17:46:00

    Responsável sugere cooperativas numa única entidade

    Ndalatando - A necessidade da criação de uma única entidade que congregue todos os ramos do cooperativismo para melhor organização e defesa dos seus direitos foi defendida, hoje (quinta-feira), em Ndalatando, Cuanza Norte, pela vice-presidente da Federação das Associações de Camponeses e Cooperativas Agropecuárias de Angola (Unaca), Ricardina Machado.

  • 08/11/2018 17:31:48

    APROSOC facilita registo de 400 menores de cinco anos

    Luena - Quatrocentas menores vulneráveis, de cinco anos de idade, da comuna do Lucusse, província do Moxico, beneficiaram, de Julho até a presente data, de registo de nascimento gratuito e vacinas contra o tétano e a pólio, no âmbito do Projecto de Apoio à Protecção Social (APROSOC).

  • 08/11/2018 17:24:09

    Anciã morre por Descarga atmosférica no Cuvango

    Cuvango - Uma anciã de 75 anos de idade morreu, quarta-feira, vítima de descarga atmosférica, no município do Cuvango, província da Huíla, informou hoje, quinta-feira, no Lubango, o porta-voz do Comando Provincial dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiro, Inocêncio Hungulo.

  • 08/11/2018 17:15:30

    Paz exercício de soberania e segurança - diz responsável

    Luanda - A construção da paz é um exercício de soberania e de segurança nacional, por constituir a base para a defesa e preservação do bem comum, cujo objectivo fundamental deverá ser dotado as crianças e adultos, considerou hoje, quarta-feira, em Luanda, o director-geral da Fundação Eduardo dos Santos (FESA), João de Deus.